Resenha: Aluga-se Um Noivo

Autora: Clara de Assis
Editora: Charme
Ano: 2017
Páginas: 352

*Obra cedida pela editora no formato de livro físico, para resenha, referente a parceria de 2017.

    Nada poderia ter afetado tanto Débora Albuquerque quanto ter de enfrentar seu ex-namorado como padrinho de casamento do irmão. Como se não bastasse, acompanhado por sua nova namorada, ninguém menos que Letícia, a quem Débora um dia chamou de amiga. A situação já parecia bastante ruim, quando Débora teve a brilhante ideia de não ir à festa sozinha. Para isso, contratou um garoto de programa, Théo, fingir ser seu namorado e juntos seriam o casal mais feliz do mundo. Por sorte, ou não, a inseparável melhor amiga de Débora, Carol, resolveu dar uma ajudinha, e o que antes era uma loucura, tornou-se algo mais complicado que nunca: Théo foi de namorado a noivo num piscar de olhos. Débora estava disposta a pagar quanto fosse para não aparecer sozinha na festa. Théo seria o namorado ideal: lindo, sofisticado, com sotaque italiano e extremamente sedutor. O plano era perfeito... até Débora se apaixonar [SKOOB]


Acho que, como a maioria das pessoas, quando eu li a sinopse de “Aluga-se Um Noivo”, pensei logo naquele famoso filme “Muito Bem Acompanhada”. Para todos que, como eu, amam esse filme, a lembrança é boa e nos faz ter vontade de conhecer essa história.

Mas não esperem algo muito parecido. Apesar de lembrar em um primeiro momento, esse livro estará recheado de surpresas, que para os amantes de um bom romance, serão um prato cheio. Então, está pronto para conhecer um pouco da história de Théo e Débora?


Débora é uma personagem fascinante e apaixonante. Logo de início, percebemos que apesar de ter um passado que destruiu o seu coração e lhe fez desacreditar um pouco no amor, ela continua sendo uma pessoa alto astral.

Porém, é justamente esse passado que a faz sair em busca de um acompanhante para o casamento do irmão. Débora não quer aparecer sozinha nesse casamento e ser, mais uma vez, o motivo de cochichos entre os familiares e, principalmente, entre o ex-namorado e a atual dele, alguém que já foi muito sua amiga. A busca, entretanto, começou em agências de relacionamentos e encontros, mas acabou indo parar em Théo, o garoto de programa sem agência e muito bem... apessoado.

“Ele sorriu, e era absolutamente lindo. Olhos e cabelo castanhos, cílios longos, nariz perfeito. Sempre reparava primeiro no nariz, afinal, estava no meio do rosto, e meu fraco eram os narizes afinalados. Olhei para os lábios dele, rápido, mas ele me deixou ver um pouco do seu sorriso perfeito, depois se afastou com um livro.” (pág. 8)

O problema é que Théo e Débora já haviam se esbarrado antes em uma livraria. Ele, com um livro que a personagem julgou muito culto, e ela, ansiosa para ver o que aquele belo homem lia. Quando, porém, ele aparece em sua porta, apresentando-se como o rapaz da foto parcial, onde ela não via seu rosto, o mundo de Débora balança, assim como sua fala se esvai.

Temos então, desde o primeiro contato, a visão de um homem muito confiante sobre si, capaz de se sentir a vontade desde o primeiro momento junto de uma mulher que não conhece e que se mostra completamente a disposição de ajudá-la. Théo é encantador desde o início, mas também tem uma boca muito rápida, pois além usar o sarcasmo para deixar Débora sem graça e rir dela por isso, ele também é ótimo em fazê-la se derreter por ele. Assim como nós.

“Não foi nada fácil perceber que estava me envolvendo com o Théo. Para mim, era por sentimento, para ele, por dinheiro.” (pág. 48)

O problema começa quando Carol, a melhor amiga de Débora e que está por dentro de todo o plano, diz para as demais amigas que Théo e Débora estão noivos. Todo o plano dos dois muda de uma hora para a outra, assim como o valor do combinado. Mas sem hesitar, Théo aceita a proposta, inclusive levando muitas de suas coisas para a casa da mulher.

E é aqui vamos perceber as coisas mudando entre os dois. Conforme vão convivendo mais, vão descobrindo um sobre o outro. Théo não mede esforços para mostrar interesse em cada coisa que Débora conta, assim como passar mais tempo com ela, indo para sua casa ou mesmo a chamando para sair, mesmo longe dos amigos dela. E isso faz nos perguntarmos se o interesse dele é apenas profissional mesmo.

E Débora, em determinado momento, também se pergunta sobre isso. Apesar de parecer muito rápido, podemos notar a diferença de quando ela diz estar apaixonada, para quando ela realmente se apaixona por Théo. E, obviamente, eles caminham para viver esse romance, mesmo que a condição em que ele se deu pareça ser tão errada.

“Pela primeira vez, senti medo daquelas palavras. Talvez estivéssemos indo longe demais e com muita intensidade. Temi sair chamuscada daquela relação quente, mas ignorei o sentimento.” (pág. 144)

Confesso que eu adorei a forma como o romance entre eles foi sendo montado. Débora se diz apaixonada muito rápido e eu achei que isso fosse me incomodar, porém, consegui ver que nesse início ela estava muito deslumbrada com quem Théo era. Uma pessoa encantadora e atenciosa com ela, contrariando o que ela esperaria de um garoto de programa. Mas aos poucos elas vai mudando o modo como o vê e é aí que vemos que o sentimento começa a surgir realmente. E é no mesmo instante em que Théo começa a demonstrar não conseguir lidar muito bem com os próprios sentimentos.

Assim como Débora, ficamos nos perguntando se esse romance vai acabar com o último dia do acordo ou se Théo irá abandonar aquela vida para ficar com ela. O que vocês acham mais fácil? O que acha mais clichê? Ah, pois pegue o livro e leia! Tenho certeza absoluta que as páginas que se sucedem ao casamento do irmão de Débora irão te deixar tão surpresos quanto me deixaram. É aqui que o livro mostra que não vai te deixar sem um ataque do coração ao ler.

“Com Théo, eu abandonava qualquer conceito de pudor. Ele arrancava o controle das minhas mãos. Fazia-me saltar em queda livre, ansiando pela queda. Théo era a punição e a redenção em forma de homem.” (pág. 164)

Outra coisa que gostei muito foi como a autora conseguiu me fazer rir. Desde as primeiras páginas eu já estava rindo com Débora e Carol, que, diga-se de passagem, mostram uma amizade tão verdadeira que é impossível não amar. Eu ri de cada ação assustada ou constrangedora de Débora e consegui visualizar as cenas como se estivesse assistindo a um filme.

A carga dramática, quando ela chega, também é algo que gostei muito, porque não ficou forçado. A gente pode imaginar isso acontecendo com a gente. Podemos, inclusive, já ter passado por alguma das situações de as personagens passaram e é isso que faz com que nos identifiquemos mais com a história.

Eu poderia passar horas falando sobre Aluga-se Um Noivo, pois foi um livro que além de ter me trago ótimos sentimentos e risadas, me surpreendeu e não me deixou largá-lo até terminar, ou seja, o li praticamente todo em um dia! Além disso, a diagramação está encantadora, assim como a história.

Eu recomendo a leitura para todos que amam um bom romance e mais ainda para quem gosta de uma comédia romântica, porque, sem dúvidas, ele se encaixa nessas duas categorias. E desafio quem for ler a não se apaixonar pelo Théo. Tenho certeza que nenhuma de nós seria capaz de tal coisa.


Classificação

Gênero
Literatura Nacional
Drama
Romance
Ficção



11 comentários:

  1. Amei a resenha. Eu amo romance e acredito que irei amar esse livro.
    Cheia de reviravoltas, mas com pitadas de amor. Amo!
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante de comédia romântica, mas não me animei muito para ler esse livro. Algumas coisinhas nele me deixaram com receio, talvez eu precise ler para descobrir se vou gostar mesmo ou não, mas por enquanto ele não entra na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  3. Olá Fernanda!
    Eu amo a escrita da Clarinha. Li esse livro ainda quando era independente e já estou com vontade de reler agora com essa nova edição pela Charme. Theo é de arrancar os cabelos, e esse romance é demais.
    Amo!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Eu confesso, gosto desse tipo de temática. E acho importante em romances como esse que a história faça o leitor rir um pouco, então fico um pouco mais curiosa para conhecer melhor a obra.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha, Nanda! Você captou tudo o que me propus quando escrevi. Nós chegamos a conversar, na Bienal, sobre como eu adoro quebrar os clichés e surpreender o leitor.
    A resenha ficou tão linda! Me cativou muito!
    Obrigada!!! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Heeeey, tudo bem?

    Amo romance, e gostei muito da sua resenha.
    Vou anotar a dica, estou precisando ler obras nacionais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. esse Theo deve ser um personagem encantador, não e mesmo?
    bem, não curto o gênero romance mas me parece ser uma leitura leve e divertida... os romanceiros irão amar, certamente... heehe
    bjs...

    ResponderExcluir
  8. Ai Meu Deus, já estou apaixonada pelo Théo haha! Adorei a sua resenha e já quero correr para a loja mais próxima a procura desse livro. Amo romances e esse parece ser muito viciante, adorei o modo como o casal se conheceu e estou louca para ler o desenrolar desse romance. Obrigada pela dica, bjss!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não conhecia esse livro e gostei da premissa, adoro esses romances arranjados e m animei para ler, tem tempo que não leio livros assim, já quero conhecer o Théo e me apaixonar hahaha.. estou bem curiosa e espero gostar!

    beijos!

    ResponderExcluir
  10. Adoro um bom romance, mas não gosto muito de livros Hot. Pelo que li Theo vai me deixar doidinha e caidinha por ele. Acho que vou colocar na listinha de leitura do ano que vem.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir