Resenha: O Pequeno Principe

Autor:  Antoine de Saint-Exupéry
EditoraEditora Zahar/ Editora Agir
Ano: 2011
Páginas: 118/ 96


    Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor. [SKOOB]

    Muitos não acreditam em magia, mas quase sempre a fazemos e a sentimos. “A palavra tem poder!” Quantas vezes ouvimos isso? Tal frase, não poderia ser mais verdadeira.

    Quando eu leio, eu sinto como se uma estrela acendesse dentro de mim. E a forma mais pura e tem vezes que mais tempestuosa de sentir a chama de um novo sentimento.

    Um livro nós faz lembrar o que é ser humano!

    Nos faz lembrar que devemos sorrir e se emocionar. Toda a leitura que eu faço eu encontro um mundo de experiências.

    No caso do Pequeno Príncipe, eu vi a transparência que um coração infantil. Nos crescemos e assumimos papeis e gostos perante a sociedade, nos isolamos em nosso mundo pessoal (asteroide) e crescemos.

    Nós tornamos adultos de mais para sermos amáveis, nos tornamos adultos de mais para sorrir. Nos tornamos adultos de mais para sonhar e ser criativo. Quem nos ensinou que tudo isso é coisa de criança?

    Não se sufoque. Apenas pare agora, pare nesse momento.

(Just Stop)

    Congele não apenas seus movimentos, mas também os pensamentos que lhe sufocam como um naufrago no mar. Apenas pare! Respire. Se permita sentir alivio e passar esse segundo com você!

“Sortudo é o que consegue meditar no caos.”

    Hoje a resenha foi mais uma reflexão sobre o tema de um dos livros mais vendidos e publicado por varias editoras. Vejo você na próxima. E ai já leu esse incrível livro? 


Classificação


Gênero
Ciência 
Anatomia Humana
Infantil
Literatura Brasileira




2 comentários:

  1. Eu já li o livro e adorei! Reli inúmeras vezes, tenho inúmeros trechos favoritos e adoraria comprar mais edições. Gosto de procurar reflexões acerca de OPP. Cada partezinha daquele livro tem um significado especial e quase impossível de ser explorado em sua totalidade. Aliás, o primeiro design do meu blog foi baseado no pequeno príncipe, e o nome é inspirado naquele garotinho do asteroide. Fico feliz que você tenha tido acesso à história do livro e que tenha "morrido de amores". Boa próxima leitura!

    ResponderExcluir
  2. Eu já li o livro em várias fases da minha vida.
    É claro que quando criança, não dei a devida atenção sobre a mensagem transmitida. Mas foi depois de adulta que comecei a entender e absorver a história. <3 Amei ver o livro aqui

    Beijos

    ResponderExcluir