Resenha: Leon

Autor: Felipe Sales Mariotto
Editora: Chiado
Ano: 2015 
Páginas: 234

*Obra cedida pelo autor.
    Quando seu mundo se expande tão rápido que você precisa se reinventar e correr para acompanhá-lo. Quando, de repente, parece que toda a sorte resolveu te acompanhar de uma só vez. Quando os sentimentos mais ocultos afloram em explosão, no momento em que não se julga preparado. Tudo isso e mais um pouco aconteceu com o pacato Leon.Leão, para os íntimos, é filho de lavradores do interior paulista e conseguiu, por esforço próprio, uma aprovação no concorrido vestibular de Medicina da UFRJ. Trocou o campo pela viciante confusão do Rio de Janeiro e seus personagens. Logo no início da faculdade conheceu Arthur, um rico amigo que o abraçou como membro da família. Em pouco tempo, Leon foi convidado a frequentar e morar de frente para o mar, numa das coberturas mais caras da Barra da Tijuca.Tudo parecia tão fácil e perfeito, que o lado imperfeito ficou com inveja. Arthur, sua mãe e irmã – de apenas 14 anos - iniciaram um jogo de sedução particular com o belo e cativante Leon que, inseguro, se enrolava cada vez mais nas teias dessa gente dominadora. Confuso entre sentimentos verdadeiros e descartáveis, além da própria sexualidade, ele se apaixonou pelo amigo, mas vive o dilema dramático de se afastar dessa família que tanto o transformou e, por conseguinte, do próprio Arthur, com medo que este descubra seus sórdidos segredos.Nada é tão simples assim na escola da vida. Leon teve de amadurecer à força e tomar decisões que transformariam de vez sua história. O peso de cada escolha era o novo e diferente caminho a seguir. O que fazer?Este livro trata dos sentimentos e dúvidas verdadeiros de pessoas comuns em busca da felicidade. Trajetórias de altos e baixos que afloram o autoconhecimento, trancafiando ou libertando de vez o leão enjaulado em cada um de nós. [SKOOB]

    Se você, assim como eu, adora ler romances gays, precisa ler Leon, um livro bem escrito e envolvente, que foi certamente uma leitura bastante agradável. 

    Em Leon, conhecemos um jovem e belo rapaz que sai da roça para cursar Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), deixando para trás a vida pacata que tinha ao lado dos pais, que juntam suas economias para estudar o único filho, apoiando-o em seu sonho de se formar médico.

    Ao chegar no Rio de Janeiro, o jovem se depara com um mundo totalmente diferente daquele que conhecia, inclusive na faculdade, cujos colegas, em sua maioria, provinham de família abastadas, entre os quais destacam-se Fernanda e Arthur, sendo a primeira uma garota bastante interessada no rapaz, portanto se mantém próxima, dando início à uma bela amizade, o segundo, por sua vez, a proximidade se dá graças aos trabalhos acadêmicos feitos em duplas.

    Arthur é um playboy acostumado a ter tudo que quer, mas cansado de simplesmente manter as aparências. Assim, conhecer Leon, o instiga ainda mais a mudar o rumo da sua vida, o dia-a-dia na faculdade e o contato que passam a ter fora dela os aproxima cada vez mais.

    Não fosse os desencontros na vida desses dois, poderiam logo declarar o amor que ambos nutrem um pelo outro e quem sabe, serem felizes, mas a falta de diálogo e os acontecimentos inexplicados tendem a fazê-los querer se afastar, reprimindo o que sentem.

    No entanto, a proximidade é inevitável, pois tendo Leon ganhado a confiança e simpatia da família de Arthur e estando ele procurando por um quarto para alugar, ele é convidado a morar na casa do amigo, as circunstâncias obviamente o fazem aceitar.

    Em pouco tempo, Leon e Arthur se entregam à paixão, mantendo uma relação secreta, aguardando o melhor momento para assumir, já que ambos, embora já fossem gays antes de se conhecerem, mantiveram em segredo sua homossexualidade, receosos de sofrer preconceito e não serem aceitos.

    Para a desgraça de Leon, o que parecia ser um gesto de bondade para com ele vindo da família do namorado, se revelou um jogo de interesses, onde o rapaz se vê envolvido com a mãe e com a irmã de Arthur, que o cobiçam por sua beleza e ingenuidade aparente.

    É assim que Leon, vindo de uma educação humilde e machista, é coagido por duas mulheres e pela sua própria consciência à sempre provar sua masculinidade, vivendo um terrível drama, no qual as perdas podem ser irreparáveis.


 Bônus 
Entrevista

    Biografia resumida: Felipe Sales Mariotto, nascido em 18/01/1980 na cidade do Rio de Janeiro, é médico (formado pela UFRJ), com pós-graduação em Dermatologia, Medicina / Cirurgia Estética e Saúde de Família, iniciou a carreira de escritor em 2014, seguindo os inquietantes anseios de transformar em realidade seus maiores sonhos.

    Livros publicados: Lampejos Poéticos (ASIN: B00MGR8LWE)
    A FESTA (ISBN-978-85-8273-624-1) – Editora Multifoco (2014)
    LEON (978-989-51-4552-2) – Editora Chiado (2015). 

perguntas-tag-300x159

  1. O que te inspira a escrever?
    Pequenos fatos do dia a dia que me trazem alguma lição.

  1. Quanto tempo aproximadamente você levou para escrever seu primeiro livro?
    4 meses.

  1. Que temas aborda em seus livros?
    Pessoas comuns em busca da felicidade. O enredo descreve encontros e desencontros amorosos, sonhos, erros e acertos; sem pular nenhuma parte, pois não sou adepto dos falsos pudores. Os personagens são tão verossímeis que podem ser confundidos facilmente com gente que conhecemos.

  1. Qual a história por trás das suas estórias?
    Tudo se resume ao autoconhecimento e, como todos, eu também passo por isso. Ninguém é perfeito e nada é por acaso são as máximas de que trato.

  1. Você se sentiu incentivado para escrever e posteriormente publicar seus livros?
    Na verdade eu corri atrás de um sonho. O apoio veio depois, com os leitores e seus comentários inspiradores.

  1. Quais as maiores dificuldades que você enfrentou ao longo dessa caminhada (começar a escrever até publicar)?
    O mais difícil é divulgar e alcançar as grandes livrarias. O trabalho é incessante.

  1. Que conselhos daria a um aspirante a escritor?
    Leia bastante e escreva um pouco a cada dia. O tempo vai passar de qualquer jeito e, quando menos esperar, terá um livro completo. Uma obra que vai transmitir sua emoção traduzida em palavras.


    Espero que você tenha apreciado a resenha e essa entrevista que nos fora cedida com muito carinho pelo autor. Obrigada por sua visita e até a próxima semana!


Por Juliete Vasconcelos,
autora da trilogia O Ceifador de Anjos

Um comentário:

  1. Me parece ser um livro interessante apesar de eu não curtir muito ler livros do tema LGBT, mas os que eu já li me surpreenderam bastante.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir