Resenha: A Acusada

Autora: Patricia Maiolini
Editora: Sinna
Gênero: Ficção; Mistério; Literatura Nacional
Ano: 2017
Páginas: 202

* E-book cedido pela editora para resenha.

Um bilhete, um diário, o que realmente há por trás dos alunos mais populares de um Colégio?Aos 17 anos, Marina Moura consegue uma bolsa para realizar seu sonho do intercâmbio em Toronto, Canadá. O que ela não esperava é que fosse obrigada a se enfiar em uma investigação para desvendar um assassinato e, menos ainda, que fosse ser a acusada pelo crime. Todos são suspeitos. Como confiar em alguém? Será mesmo que ela é inocente? Marina conseguirá se livrar da acusação? Ou o assassino será mais esperto?Era para ser o intercâmbio dos sonhos...

     O sonho de fazer intercâmbio é o sonho de muitos jovens e adultos que buscam novas experiências e aprendizados. Esse era o caso de Marina, uma jovem criada pela mãe, brasileira e cheia de expectativas para o futuro. Seu pai faleceu e a jovem e a mãe, apesar de mais fortes com o ocorrido, também precisaram refazer suas vidas com essa mudança. E logo uma nova: Marina foi aceita em uma escola em Toronto, Canadá, para fazer alguns meses de intercâmbio.


     Ao chegar lá ela conhece Elisa, sua nova colega de quarto, uma menina extremamente popular e que, para a surpresa de Marina, também era muito simpática. As duas se aproximaram, criando um laço de amizade rapidamente, mas que não pôde ser aprofundado, pois poucos dias depois da chegada de Marina, Elisa é encontrada morta no terreno da escola.

     O sonho do intercâmbio está prestes a se tornar um pesadelo, pois agora os alunos estão acusando Marina de ser a assassina de Elisa. Para provar sua inocência, a jovem então começa a investigar por conta própria a vida da ex-colega de quarto e das pessoas que a cercava. O que Marina virá a descobrir é que todos possuem segredos e algumas, completamente inesperados.



     Quando comecei a ler “A Acusada” eu estava bem ansiosa pois tinha visto a classificação mistério e suspense. Estava esperando uma história cheia de sustos, mas a verdade é que o foco principal é o mistério que envolve esse assassinato. Por alguns capítulo fiquei um pouco incomodada com o fato de tudo acontecer com muita facilidade para Marina, ela descobria as coisas muito fácil e, o que me deixou mais desconfortável, sozinha, sem ajuda de praticamente ninguém.

     Alguns personagens foram bem caricatos. Por se tratar de uma história onde os protagonistas são adolescentes, é comum isso acontecer, pois mostrou bem o meio escolar que estamos tão acostumados em filmes adolescentes e conhecemos tão bem. O que foi bem legal, mas também me ajudou a perceber quem seriam as pessoas mais suspeitas.

     Em determinado momento, porém, as coisas começam a mudar e Marina percebe que não conseguirá fazer isso sozinha por muito mais tempo. As pessoas que ela confia se afastam e outros suspeitos aparecem quase que imediatamente. Foi nesse momento que eu me vi presa pela história.

     No final, a autora conseguiu me enganar com quem era o assassino, pois eu tinha ido e voltado nele diversas vezes, mas no final já não estava acreditando que o fosse. Foi uma experiência muito boa, pois acabei surpresa.

     A narrativa é feita em primeira pessoa, contando o ponto de vista de Marina, mas alguns capítulos são especiais, contendo outros. Mesmo não sendo muito adepta a esse tipo de narração, pois acontecem, neste caso, momentos em que a personagem consegue identificar impressões de outros personagens, uma característica da narração em terceira pessoa, ainda assim consegui me ver envolvida na trama e na história.

     Uma leitura rápida e mais leve do que eu imaginei que seria, recomendo para quem quer sair do romance intenso, ou mesmo que estejam de ressaca e queiram uma leitura para prender, envolver e fazer lembrar daqueles momentos de adolescentes que já se passaram (ou não, em alguns casos).


Minha Avaliação:



Nenhum comentário:

Postar um comentário