Entrevista: Autora da trilogia O Ceifador de Anjos

Por Ana Cláudia Esquiávo
O tema psicopatia já foi abordado diversas vezes na literatura de ficção. Desde Dexter, passando por Hannibal, muitos foram os assassinos em série que causaram frenesi nos leitores apaixonados por suspense e romances policiais.
A autora Juliete Vasconcelos traz pela primeira vez um psicopata que mata grávidas e crianças que nem sequer nasceram. 


O livro O Ceifador de Anjos – A Coleção de Fetos, que foi lançado no Wattpad e teve mais de cem mil leituras, conta a história do biomédico Vincent Hughes.
Vince, como é conhecido, ostenta uma reputação acima de qualquer suspeita, além de ser um marido gentil  e profissional respeitado na sua área de atuação. Porém, ele possui uma peculiaridade capaz de causar arrepios até mesmo em pessoas com sangue frio. Vincent Hughes é o Colecionador de Fetos, um serial killer capaz de retirar e guardar os fetos das gestantes que passam pelo seu caminho na própria casa como objetos de coleção.
Em entrevista exclusiva para o blog Literaleitura, a autora Juliete Vasconcelos conta detalhes sobre sua carreira, O livro O Ceifador de Anjos – a coleção de fetos, publicado pela Editora Sekhmet e que está na fase de pré-venda.
O primeiro livro que foi lançado nesta semana faz parte da trilogia O Ceifador de Anjos. A continuação (Vincent Hughes – Antes da Coleção e A Ultima Ceifa) estão disponíveis no Wattpad.

Literaleitura - Você estudou letras por 2 anos e meio. A faculdade a influenciou a entrar no mundo literário?

Juliete Vasconcelos Não, na verdade foi o contrário. A literatura me influenciou a cursar Letras, pois acreditava que iria me ajudar bastante no processo da escrita, mas acabei mudando de cidade e não pude dar continuidade ao curso, infelizmente.

L - Quanto tempo você levou para escrever a história do Ceifador de Anjos?

Juliete - Escrevi a trilogia toda em onze meses, mas já tinha a história desenvolvida mentalmente há aproximadamente quatro anos. Foram três meses para o livro A Coleção de Fetos; cinco meses para Vincent Hughes antes da Coleção; e três meses para A Última Ceifa.

L - Você desenvolveu a história enquanto estava grávida. Qual foi a sua inspiração para criar o Vincent Hughes?

Juliete - Realmente, a ideia surgiu na minha primeira gestação, embora eu tenha lhe dado mais atenção só na minha segunda gravidez, dois anos mais tarde. Lembro que me questionava da possibilidade de existir seres humanos capazes de ferir uma criança ainda no útero da sua mãe, creio que pelas leituras que fazia, filmes e séries que acompanhava, somado à permanente sensação de fragilidade que a gestação me dava me inspiraram a criar Vincent Hughes, o ceifador de anjos.

    L -  Vincent é um homem gentil e carinhoso com a sua esposa, mas ao mesmo tempo é um psicopata capaz de matar gestantes e retirar seus fetos. Você quis explorar a dualidade do lado bom e ruim que algumas pessoas possuem?

    Juliete - Não exatamente, pois não se trata do lado bom ou ruim que as pessoas normais possuem. No caso de Vincent, ele é um psicopata, um assassino em série que mesmo consciente que sua prática é condenável – e monstruosa – , se vê impelido a fazer o que faz, como se as regras sociais não se aplicassem a ele. E tal qual qualquer indivíduo com Transtorno de Personalidade Social, Vincent é inteligente, charmoso, manipulador e calculista, que se reveste de uma máscara para obter tudo o que quer, no caso da esposa especificamente, Donna é a chave para tudo em que ele acredita.

L - Psicopatia é distúrbio mental onde a pessoa apresenta comportamentos antissociais e amorais sem demonstração de arrependimento ou remorso. Para criar os seus personagens, os autores precisam fazer inúmeras pesquisas. Quanto tempo você levou para realizar essas pesquisas?

Juliete - Muito, muito tempo mesmo. Embora eu não seja capaz de precisar o tempo gasto pesquisando, posso dizer com certeza que durante os três meses que levei para escrever o livro 1 da trilogia, a maior parte desse tempo foi empreendido em pesquisas.

L - Teve algo que surpreendeu ou chocou quando você começou a estudar sobre a psicopatia?

Juliete - Exceto pelo fato de se deparar com histórias reais de vítimas de psicopatas e assassinos em séries, eu diria que não, porque sempre gostei de filmes e séries com essa pegada, e a ficção tem cumprido bem o papel de nos chocar.

L - Você é uma autora de romances policiais e pretende explorar o tema psicopatia. Os escritores de suspense gostam de personagens que surpreendem, instigam e causam diversas reações nos leitores. O que mais a atraiu nos psicopatas?

Juliete - O fato de serem inteligentes e manipuladores tornam os psicopatas vilões bastante interessantes, e por existirem fora da ficção, permite ao leitor a degustar sensações mais reais.

L - Enquanto o Ceifador de Anjos esteve no Wattpad, você recebeu diversas manifestações dos seus leitores. Muitos chegaram a elogiar e até simpatizarem com Vincent Hughes. Você acha que as pessoas atualmente preferem torcer pelos vilões ao invés dos mocinhos? Por quê?

Juliete - Não acredito que as pessoas prefiram torcer pelos vilões, salvo algumas exceções. No caso do Vincent, eu diria que, mesmo o personagem não tendo duas personalidades, nós acabamos o dividindo em dois, um é o marido atencioso, perfeito, enquanto o outro, é o inescrupuloso Ceifador de Anjos, e a esse último, meus leitores odeiam. A verdade é que a máscara de bom marido e homem perfeito usada por Vincent, não cativou e cegou apenas sua esposa Donna, mas alguns leitores também. Risos.   

L - Além do Ceifador, teve algum personagem que você teve mais simpatia?

Juliete - Na trilogia O Ceifador de Anjos, minha personagem preferida é Adelle, que embora não seja uma das personagens principais, tem um papel muito importante na história.

L - Quais os conselhos que você daria para os escritores que estão começando a postar seus livros no wattpad e sonham com uma publicação?

Juliete - Divulguem bastante suas histórias e conquistem um público de leitores fiéis, e só posteriormente, enviem o original para as editoras.

 L - O que os leitores podem esperar do Ceifador de Anjos?

Juliete - Além de vez ou outra querer matar os personagens ou a autora, eu diria que vão experimentar várias emoções! Nos depoimentos que recebi de leitores, eles contam que por vezes amaram e odiaram o Vincent, que se revoltaram e até choraram conforme surgiam as vítimas e conforme a trama se desenrolou.

L - Quais são os seus planos para o futuro?

Juliete - A longo prazo quero me tornar profissionalmente conhecida como uma escritora de romances policiais. A curto prazo, divulgar e divulgar a trilogia, tornando-a mais e mais conhecida.

Os leitores poderão adquirir um exemplar do primeiro livro da trilogia O Ceifador de Anjos - A coleção de fetos no link: https://pag.ae/bcqx7j7

Ana Cláudia Esquiávo é jornalista e escritora

5 comentários: