Resenha: De Repente, é ele

Autora: Susan Fox
Editora: Única
Ano: 2013
Páginas: 382

SINOPSE
    Quando o destino cruza caminhos improváveis, como resistir?Jenna Fallon sempre foi uma mulher livre e decidida, que segue apenas uma única regra: ignorar regras. Então, quando seu carro quebra a caminho de Vancouver e ela é obrigada a pegar uma carona com um belo desconhecido, Jenna se encanta ao perceber que ambos possuem a mesma ideologia de vida: não se amarrar a ninguém...O biólogo Mark Chambers está sempre mudando de um local para outro assim como nunca fica com uma única mulher. Quando ele e Jenna cruzam a costa do Pacífico acampando, mergulhando e fazendo o melhor e mais quente sexo de sua vida, Mark já não tem certeza se quer se despedir. Será que Jenna será corajosa o suficiente para encarar o desafio de ficar com o cara que pode ser perfeito para ela? De repente, é ele... [SKOOB]

   É incrível como uma história pode nos surpreender, em como a que parece ser a mais superficial se mostra ser a mais complexa. 

   Em "De Repente, é ele", o terceiro livro lançado da saga, mas que como os outros pode ser lido individualmente sem afetar a compreensão da trama, conhecemos Jenna, a irmã até então apresentada como a mais descompromissada com a vida.


   De fato, Jenna é um espírito livre, além de ser muito mais leve do que suas irmãs. Isso fica claro ao pegar carona com Mark sem nem mesmo conhecê-lo. Isso, porém não a impede de trocar flertes com ele e se envolver com o mesmo. Mas o que aparenta ser apenas mais uma relação casual vai mudando ao longo da viagem.

   Jenna consegue fazer Mark se abrir como nunca antes, por ser alguém introspectivo, mas em seguida é a vez do rapaz conseguir o mesmo e é então que conhecemos Jenna verdadeiramente, que descobrimos que ela é muito mais do que um espírito livre.

   Como todos os anteriores da saga, esse livro explora bem a sexualidade das personagens e o romance erótico, mas não se baseia apenas nele. Podemos ver aqui a maior construção e a reconstrução familiar da saga, além de amadurecimento e redescobertas. 

   Assim como nos anteriores, minha maior crítica em ponto negativo é a mistura das pessoas na narração, variando em primeira e terceira. Porém, também como nos demais, isso não afeta muito o desenvolvimento da trama.

   Este foi o livro que menos me identifiquei, porém foi o que mais me surpreendi e foi uma ótima surpresa. Para todos que gostam do romance clichê, não há como enjoar do romance e não desejar mais até as páginas finais.


Classificação


Gênero
Ficção-erótica
Romance
Drama




Nenhum comentário:

Postar um comentário