Resenha: Clichê



Autora: Carol Dias
Editora: Ler Editorial
Ano: 2015
Páginas: 282

*Obra cedida pela editora no formato de livro físico para resenha, referente a parceria do 1º semestre de 2016.

SINOPSE
    Marina Duarte está no vermelho. Dona de dupla graduação nas melhores faculdades públicas do Rio de Janeiro, seu sonho de construir a vida nos States não está funcionando. Decidiu se mudar para ficar perto da tia, sua única família, mas a crise não está ajudando em nada sua carreira.

   Sem saber como pagar as contas do próximo mês, Marina aceita uma vaga de babá na mansão da família Manning. Ela só não podia imaginar que sua vida mudaria completamente, apenas por conhecer duas crianças e um chefe viúvo e gato, maravilhoso, cheiroso e gostoso , que precisa urgentemente de sua ajuda. [SKOOB]

    Nessa obra conhecemos a história de Marina Duarte, uma jovem de nacionalidade brasileira que foi tentar a vida nem outro país e descobriu que nem tudo acontece conforme o esperado e programando. Morando já há algum tempo nos Estados Unidos ela pode perceber que nem mesmo sua qualificação e diplomas de faculdades renomadas significam conseguir um bom emprego e estabilidade financeira. Cansada de trabalhar em uma rede de café, ela pede demissão e decide pedir conselhos a sua tia Norma, que após a morte de seus pais tornou-se sua única família.

    A tia da garota arruma-lhe uma entrevista de emprego, nada muito maravilhoso e totalmente fora da sua área de atuação, o emprego mais clichê para estrangeiros e alunos de intercâmbio depois das redes de lanchonetes fast food, Marina trabalharia como babá nos Hamptons, uma das vilas de luxo mais famosas de Nova York.
    Na entrevista ela conhece o jovem senhor Killian Manning, que apesar de estar constantemente ocupado, se preocupava muito com os filhos de 4 e 7 anos. As crianças que antes era alegras e dinâmicas tornaram-se enclausuradas e solitárias, perderam a vivacidade infantil que costumavam tem antes do acidente que tirara a vida de sua mãe. 
    Ally e Dorian eram crianças encantadoras e educadas, mas estavam passando por uma fase difícil na qual reprimiam seus sentimentos e o diálogo do pai com as mesmas ficava cada vez mais difícil.

    Com o passar dos dias Marina vai conhecendo melhor a abalada família Manning e aos poucos acaba conquistando as crianças. Dorian é fisgado pela música e habilidade de Marina em tocar diferentes instrumentos musicais, enquanto que Ally sentia mesmo era a falta de ter alguém a quem amar, preencher o vazio que ficou com a partida da mãe, até mesmo Killian não consegue se manter indiferente aos encantos da doce babá. 

    Marina luta contra seus instintos, mas acaba se apaixonando pelo patrão, que com seu jeito sério e ao mesmo tempo sedutor acaba derretendo o coração da jovem.
    O viúvo, mesmo passando pela dor do luto, também começa a demostrar interesse na jovem e a manifestar suas intenções. Vendo que não há mais outra alternativa, e não conseguindo manter-se indiferente as investidas do patrão, Marina ceda ao seu desejo, mesmo sabendo de tudo que está em risco e do preconceito que ela sofrerá por alguns amigos e familiares de Killian, ambos decidem dar uma nova chance ao amor e viver esse romance.



    E como o enredo não poderia divergir do título que dá nome a obra, aqui encontramos um dos maiores clichês do gênero, a moça pobre e batalhadora que se apaixona pelo patrão rico viúvo e super gato. Você pode gostar ou não, mas não há como negar que o título vem bem a calhar.

    O livro é narrado em primeira pessoa, sendo a maior parte da história contada pelo ponto de vista de Mariana, mas temos também algumas passagens que relatam momentos da vida de Killian quando sua esposa Micthie ainda era viva, e com isso podemos conhecer mais sobre os sentimentos desse sedutor pai de família.
    Eu particularmente não tenho preferência quanto a narrativa, seja ela em 1ª ou 3ª pessoa, o que importa é se a historia será bem contada. 


    Os personagens são divertidos e carismáticos. É impossível não se encantar pelo núcleo infantil da obra, Ally e Dorian são uns amores, mesmo marcados pela perda da mãe e relutantes quanto aos carinhos da babá, logo no início o leitor se apaixona pelo jeitinho fofo dos pequenos.

    A capa é simples, mas representa perfeitamente o conteúdo do livro, mesmo assim não posso dizer que se trata de uma das mais bonitas que já vi, principalmente quando comparada com outras obras da editora. A diagramação ficou um amorzinho, com detalhes característicos a cada início de capítulo, coloração das páginas em tom amarelado, fonte e tamanho adequados, tudo para contribuir com uma leitura agradável, nisso a editora nunca me decepciona. 

    As poucas coisas que me incomodaram durante a leitura foram o excesso do uso de algumas expressões, como: "ria pelo nariz". Os personagens estavam sempre "rindo" dessa maneira, um tanto esquisita (a qual eu nem sei bem como é) e a forma como o relacionamentos do casal principal foi evoluindo, parecia que tudo estava a favor deles, nenhum obstáculo aparecia para interromper o momento de felicidade do casal, nem mesmo a resistência de Dorian em aceitar o relacionamento do pai com a babá (que também não passou de poucas páginas), a rixa de Marina com o irmão imaturo de Killian no início na história e a inescrupulosa avó das crianças, a qual tentou subornar a jovem para que desistisse de sua felicidade ao lado de Killian. Acho que o que atrapalhou o desenvolvimento desse relacionamento, mesmo que indiretamente, foi mais a lembrança da esposa falecida do que os acontecimentos presentes no enredo.


    Mesmo com todos os clichês que poderiam surgir, e esse era mesmo o intuito da autora nessa obra (caso contrário o título seria outro), a obra é uma leitura muito gostosa e tranquila. Flui de maneira natural e o leitor pode desfrutar de momentos bem agradáveis.
    Recomendo para quem gosta do gênero e quer conferir um romance leve sem muita apelação.
Classificação
 

Gênero
Chick-lit
Ficção
Romance

46 comentários:

  1. Ria pelo nariz? auhsahshuahsua menina eu quero saber o que isso significa? Tipo risada de porco?
    Enfim, o livro nem parece tão clichê assim, Killian tem uma vida curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem?

    Amei a sinceridade e a brincadeira. Tem que ter coragem para construir um clichê e chamar seu livro de clichê.

    Não existe história que não seja clichê, todas são, claro que quando pensamos em Brasil o maior é "filho sem mãe/mãe sem filho", tema explorado em qualquer novela e folhetim das nossas emissoras. Romance com personagens de classes e raças diferentes está logo ali em segundo lugar.

    Legal a resenha,

    bjss
    Bel

    ResponderExcluir
  3. bem, eu não curto romances, ainda mais aqueles clichês que são até no nome... acredito que este tipo de leitura não vai me trazer algo excepcional e seria perda de tempo embarcar nela... e eu sempre procuro tirar algo dos livros que leio... a capa não me agradou tbm...
    bjs...

    ResponderExcluir
  4. Oi Quel!
    Ahhh, gosto desses romancezinhos bobos, só não estou muito na vibe deles no momento. Literatura nacional não é meu forte, entao quase todas as autoras eu desconheço, mas gostei da história dessa. A capa também está linda. Com dois personagens aparentemente tão cativantes, como não querer conhecer?

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Ah eu estou tão ansiosa para ler esse livro. Além da premissa que é muito intrigante o nome também, por ser tão irônico me interessou muito. Espero poder ler em breve essa belezura e parabéns pela excelente resenha.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá Quel, gostei da sua resenha. Não conhecia esta autora. Pela sua resenha, também acho que a capa e o título devem casar bem com história, ou seja, clichê. Mas, eu amo clichê, então quero ler (até rimou rsrsr) :)
    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  7. Olá! Como vai?
    Ainda conhecia nem o livro, nem sua autora. E como gosto de dar uma força para os autores nacionais, já o coloquei na minha linha lista. Parabéns pela resenha e obrigada pela dica!
    Beijos literários no ♥

    ResponderExcluir
  8. Oii Quel, tudo bem?
    Que título sincero hein, sério mesmo huhauhauah mas diante disso, eu realmente gostei da ideia, faz tempo que não leio algo assim e acredito que cairia bem nessa época que estou. Sua resenha está maravilhosa linda.
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Olá Quel,
    Já tinha lido outra resenha desse livro e curtido a premissa. Acho que a autora fez um bom trabalho trabalhando com os clichês. Gostei de saber que a história não é apelativa.
    É uma leitura, no meu ver, despretensiosa e gostosa.
    Anotei a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Quel, concordo que a intenção da autora era mesmo esta, como o próprio nome diz. Não li o livro ainda, e não sei se lerei tão cedo, mas não é por conta dos clichês do enredo, pois eu gosto, é porquê o livro não me interessou muito.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  11. Olá Quel!!
    Gente... esse é o tipo de livro que eu adoro. Clichê, despretensioso... fluido!
    Não o conhecia e pra falar a verdade a capa nao me chamou muita a atenção, entretanto, gostei muito da historia e da resenha.

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Eu não conhecia esse livro, mas achei bem interessante esse romance. Com certeza, vou devorar a história, querendo saber a cada instante o que vai acontecer com os personagens. Muito bom, gostei dessa indicação.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  13. Olá...
    Nossa muito fofo, e Cliche é o nome perfeito, a capa é linda e a estoria parece ser bem fofa embora que cheia de cliches kkk adorei a dica...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    são poucos livros desse estilo que me agradam, ainda mais um que se chama clichê hahah (apesar de ter achado BEM interessante o nome). Se não me engano, já vi alguém falar dele! Ótima resenha!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Olá Quel, sabe que fiquei com muita vontade de ler o livro, não somente pela sua resenha maravilhosa, mas principalmente para concer o Trabalho da Carol que escreve super bem, não é mesmo! Adorei sua resenha! Um abraço grande
    Daniela Correa

    ResponderExcluir
  16. Oi Raquel, tudo bem??

    Clichê, o nome perfeito para esse livro..rsrs
    Infelizmente, não sou muito fã de romances e tenho horror a clichês, então, esse é um livro que eu definitivamente não leria, mas pra quem gosta do gênero, provavelmente é um livro interessante.

    Sua resenha está ótima =D
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oie tudo bom?

    realmente o nome condiz com a historia, apenas não me agradou muito.
    Apesar do livro ser divertido, leve, com uma leitura gostosa, eu não gostaria de ler mais do mesmo livro, temos clichê na maioria dos livros NA, e eu geralmente gosto de fugir deles.

    =)

    ResponderExcluir
  18. Raquel, não curto muito chick-lit, mas sou viciada em um clichê e logicamente adorei a história do livro.
    Só é uma pena eles não terem as dificuldades que os casais assim costumam ter.

    Lisossomosb

    ResponderExcluir
  19. Ooi! Já li uma outra resenha desse livro, e achei a capa bem legal. Gosto de clichês e acho que a leitura iria fluir, mesmo com esses pontos que você citou.
    Gostei da resenha!
    Beeijos

    ResponderExcluir
  20. Que fofa a sua resenha! Eu adoro um clichê. Esse livro parece muito com Quase Casados da Jane Costello, mas garanto que vale a pena ler também. Um beijo!

    ResponderExcluir
  21. Ria pelo nariz? Simplesmente não consigo nem imaginar o que a autora quis dizer com isso... ia ficar bem irritada de ver uma expressão que não me diz nada ser repetida com frequência... além disso, o livro não tem nada de diferente que tenha chamado a minha atenção, então não pretendo ler.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  22. Oie, tudo bem? Que livro mais amorzinho, romances sempre são uma excelente opção para quem está procurando novos títulos e busca algo leve e leitura rápida. Gostei da sua resenha! Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Adorei a resenha, adorei também a ideia do título do livro, já é im aviso né! Hahaha
    Sei que tem muita gente que não gosta, mas eu adooro um romance clichê, claro que gosto quando o livro é diferente, quando nos surpreende, mas , às vezes, fico com vontade de ler algo que eu já imagino que vai acontecer.
    Fiquei com vontade de ler, pelo que você contou, parece ser um romance bem leve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  24. Ei, Quel!!!
    Putz, eu já sou difícil com romances, daí me vem um livro com o título de Clichê eu só torceria o nariz... Rir pelo nariz é um som estranho que faz quando a risada prende um pouco o ar... Ah! Lembra de Miss Simpatia? Sandra Bullock fazendo uns sons de engasgo quando ria? Exatamente isso! Bem... o livro é um clichê ambulante e só por isso eu passaria longe, mas estou numa fase de testes de leituras, então pode ser que um dia eu tente. Beijos!!

    ResponderExcluir
  25. Oiii
    Adoro um bom clichê. Achei diferente o fato deles não passarem por problemas e tudo ficar a favor deles. As vezes uma história totalmente linda e feliz cai bem! Um livro que eu leria com certeza!
    Bjus

    ResponderExcluir
  26. Eu sou a pessoa mais chata do mundo com clichês. Não curto nem um pouco, se o autor usa, mas depois muda o foco ainda vai. Agora pelo que li nem é esse o objetivo, já se vê pelo título, né? Aí pra mim não dá, eu fico mega irritada. Bom, pelo menos gostei da capa.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  27. Não conhecia a obra, mas adorei a premissa. Legal a autora brincar com essa ideia do clichê e mostrar que ainda sendo clichê, um livro pode ser bom.
    Adorei a resenha!

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Oi Quel, sua linda, tudo bem?
    Primeiro, eu adoro clichês, risos... Não me canso deles. E basta colocar crianças na história que eu quero ler ou ver o filme, elas sempre tornam as histórias encantadoras, inspiradoras, especiais. Parece ser um livro bem levinho, perfeito para ler depois de um livro que deixe ressaca. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  29. Oii, tudo bom?
    Adorei o título, premissa e essa pegada mais leve, que é ótima para se ler quando se quer apenas passar o tempo ^^ Eu achei uma sacada genial o título do livro, que nos passa a ideia do que realmente é: um romance leve e encantador. Adorei sua resenha!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  30. Olá,
    Eu até gosto de ler romances leves, mas bem de vez em quando.
    Este parece se encaixar bem nessa descrição.

    euinsisto.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Olá!
    Adoro chick-lit e adoro esses romances clichês haha..
    a premissa não é nenhuma novidade, mas sempre que eu leio livros assim eu fico muito apaixonada, é inevitável rs' ainda mais quando a escrita e tudo influencia para que a história seja ótima e cative o leitor. Gostei de saber mais sobre e quero conferir esse livro.

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Achei bastante interessante a premissa da obra e gostei da brincadeira com o nome. Creio que o livro vá um pouco além de um clichê. Estou curiosa para fazer a leitura e confirmar ou não essa minha impressão. Gostei da resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  33. O enredo é interessante sua resenha foi bem convincente. Não sei se é um livro que eu leria, mas certamente indicaria pra quem gosta de histórias de romance.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  34. Oie
    eu adoro essa palavra do título haha então foi o que chamou minha atenção, se eu tiver oportunidade, vou ler com certeza e espero adora, um romance simples as vezes cai bem

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  35. Oi raquel, que capa linda!!
    Eu adoro romances clichês bem feitos, mas com crianças dá um ar todo colorido, amo geralmente o livro ganha uma vivacidade!!
    Parece aquelas leituras leves e agradáveis de final de tarde, fiquei bem curiosa.
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  36. Oie, tudo bem? Adorei sua resenha e acredito que o livro possa ser divertido, mas no momento estou tentando focar em livros mais "adultos" ou "sérios" e tentando fugir dos clichês kkk

    ResponderExcluir
  37. Nossa, o título realmente deu nome ao livro, hein? Não leria, não sou fã de clichês (mesmo a brincadeira do título ter sido legal), não sou fã de romances, então não consigo ver nada de atrativo. E como assim ria pelo nariz?! Alguém me explica como é isso? Eu juro que me vi tentando rir pelo nariz quando passei por essa parte da sua resenha e ainda não descobri como faz hahaha

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  38. O livro parece ser interessante mas não é o tipo de leitura que eu estou procurando no momento.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  39. oi

    adorei a resenha....

    que fofo esse livro, amei...

    o que será que vem a ser, "rir pelo nariz" hehe

    fiquei curiosa!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  40. Oie, tudo numa nice?!
    Eu já tinha visto esse livro por aí e pela capa já havia deduzido que a autora colocara esse título propositadamente. Eu estava até gostando do que rola na estória, mas o fato de Killian ser lindo e sedutor e tudo mais não me agradou. Gosto mais de veracidade nas estórias, mesmo que seja ficção. E as outras situações na obra não me convenceram.
    Ótima resenha.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  41. Chick-lit... tenho me apaixonado cada vez mais pelo gênero... Não conhecia esse esse livro, mas já me derreti por ele!!! Gosto de leituras mais tensas, daquelas que elevam nossa ansiedade ao máximo, mas sempre é bom intercalar com leituras mais brandas.


    bjss
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  42. Olá, tudo bem?

    Confesso que o livro não me chamou muito a atenção,não é pelo fato de ser clichê, é pela falta das coisas que você destacou. Mas, como sempre falo, quem é que disse que um clichê não pode ser bom? Se um dia eu optar por ler, acho que será por conta das crianças fofas, acho tão lindo. *-*

    Beijo!

    ResponderExcluir
  43. Ei Quel,
    Mesmo com sua resenha linda eu não leria esse livro. Até pq já dei uma chance para um livro nesse estilo e não gostei muito, achei muito clichê e a repetição de uma mesma expressão me incomoda muito.

    Jéssica Rodrigues
    Coração Leitor

    ResponderExcluir
  44. Oi Quel, tudo bem?
    Achei a obra bem previsível e o enredo não é nada de novo. Como estou fugindo dos clichês esse é um livro no qual eu não leria.

    ResponderExcluir
  45. Oi Quel,
    Não sei se eu gostaria de ler essa obra hhehehe
    Esses clichês já estão cansando mesmo e pelo jeito a autora não inovou em nada para ter algum diferencial né...
    =/

    ResponderExcluir
  46. Olá Quel!!!
    Eu já tinha lido uma resenha antes sobre esse livro e admito que fiquei bastante curiosa sobre ele.
    Lembro que na resenha anterior que eu li a menina chegou a apontar que esse livro lembrava aquelas histórias de sessão da tarde que assistíamos e isso já me fisgou rsrsr
    Gosto desses romances bem clichês mesmo e fiquei já encantada com essas fofuras de crianças só pela sua resenha :3

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir