Resenha: No Sufoco



Autor: Chuck Palahniuk
Editora: Leya
Ano: 2015
Páginas: 272

SINOPSE
    "Victor Mancini concebeu um golpe complexo para pagar as contas na casa de repouso da mãe: vá a um restaurante grã-fino, finja que se engasga comendo e deixe uma pessoa “salvá-lo”; ela vai sentir-se responsável por você, até financeiramente, pelo resto da vida. Multiplique isso umas cem vezes que os cheques vão chegar pelo correio em fluxo constante. Victor também trabalha num parque temático com um bando de figuras medíocres, ronda grupos de viciados em sexo para curtir as viciadas e visita a mãe convalescente, cujo Alzheimer esconde um segredo fantástico sobre sua concepção."

    "No Sufoco é Clube da Luta para os sexólatras." – Independent on Sunday.

    "Um escritor maravilhoso com uma visão crua dos males contemporâneos" – The Face

    "Um livro bruto e essencial, pontuado por momentos de absurdo e bizarro" – New York Times

    "Palahniuk demonstra mais uma vez a fé no dogma de que, para as coisas ficarem melhores, primeiro elas têm que piorar, e piorar muito" – Publishers’ Weekly
[SKOOB]


    Subversivo não é a palavra certa, mas é a primeira que me ocorre...

    Victor Mancini tem uma vida incomum, com um emprego medíocre, um vício o qual vem destruindo-o aos poucos e meios nada ortodoxos de manter sua mãe esclerosada em uma clínica psiquiátrica. Ele está sempre nadando contra a corrente, aparentando não ligar para os efeitos de suas escolhas e ações, assombrado por fantasmas do passado.

"As leis que nos dão segurança são as mesmas leis que nos condenam ao tédio."


    Com a ajuda de seu amigo, tão perturbado quanto ele, e da médica de sua mãe, Victor inicia uma busca desenfreada por sua verdadeira identidade. Ele busca respostas, quer entender no que se transformou, como os conselhos absurdos de uma mulher alucinada e desregrada foram capazes de corromper sua personalidade desde a infância? 
    Uma vida de abandono tornou-o uma pessoa fria e desinteressada, de caráter duvidoso, mas que lá no fundo, bem no fundo, esconde alguém que realmente se importa, mesmo que não transpareça. 


   Logo de cara eu pensei "mas o que é isso?", poderia até ser uma surpresa se já não conhecesse a fama do autor. 'No Sufoco' foi a primeira obra de Chuck Palahniuk a qual li, sempre ouvi falar de seus livros e até assisti a adaptação de sua obra de maior renome, 'Clube da Luta', então é claro que não me surpreendi com a completa maluquice que me deparei nessas 272 páginas.

    Personagens sem escrúpulos, doentios e completamente infames, você encontra todos reunidos aqui, nesta obra "sem vergonha" que faz com que o leitor se divirta e fique envergonhado, tudo ao mesmo tempo. 



    A diagramação está ótima, com capítulos bem estruturados, ótima fonte e coloração das páginas para uma leitura dinâmica e envolvente.
    Tenho que chamar atenção para a arte da capa dessa nova edição, que ficou fantástica...

         Vide: Singular.
         Vide: Incomum.


    O protagonista nos mostra que é preciso chegar ao fundo do poço e afundar-se cada vez mais para encontrar sua verdadeira personalidade. Uma mente perturbada e insana, que de 9 a cada 10 pensamentos são sobre sacanagem...sim, você vai se sentir sacaneado, no sentido mais literal da palavra. 
    Embarque no mundo sujo e bizarro de Victor Mancini, um universo de sofrimento e atos absurdos que muitos tem vergonha de revelar, isso tudo é escancarado aqui, livre de censura e mimimi.

    Com um final surpreendente, digno de Palahniuk.


Classificação

Gênero
 

3 comentários:

  1. Meu deus! Adoro livros incomuns e esse com certeza vai entrar pra minha lista de leituras futuras hahahahaha!

    http://notasmentaisparaumdiaqualquer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei, Quel!! Sou bem fã do autor e a criatividade, cara de pau e peculiaridade que ele tem me fascinam! Rsrs

    Fiquei com mais vontade de ler!! Leia Clube da Luta, é de explodir a mente!!

    Beijos!
    Café com Livro

    ResponderExcluir
  3. Uau! Vou ter que ler algum livro desse autor, já que eu sou meio maluco, vai que eu me identifique lendo coisas malucas? heueheuehue

    ResponderExcluir