Resenha: Grey

Autora: E. L. James
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 524
Tradutor: Adagilsa C. Silva, Julia Sobral Campos e Maria Carmelita Dias

SINOPSE
"Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.
Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?" [SKOOB]


    Quando vi que E. L. James iria lançar a versão de Cinquenta Tons pelos olhos do Christian meu pensamento foi "para que? A história é a mesma". Depois que lançou o filme, que vi, que reli e analisei, eu fiquei pensando que era um livro clichê comum, com algumas coisas abusivas e que a personagem principal era muito sem sal. Decidi então por não ler esta nova versão da mesma história. Porém, a vida não segue como a gente planeja, não é mesmo? Em meu aniversário, no mês de lançamento do livro, há exato um mês atrás, ganhei o livro de presente. Como não iria ler um presente?

    E agora vem a revelação. Eu gostei. Realmente gostei. Mais do que a versão da personagem feminina. Christian é alguém que vale a pena conhecer e não pelos olhos da amada. Ele é realmente fascinante e o fato de todos já sabermos os segredos dele, os lados mais obscuros e onde a história vai dar apenas faz com que ele se torne mais interessante. O que faz com que queiramos ler é justamente para saber o que ele pensa e sente e cada parte do livro.

    Claro, muitas coisas novas estão presentes, como as partes em que ele não está com a Ana, o que o fez ir atrás dela no trabalho logo após a entrevista, porque ele não se afastou quando disse que o faria, porque ele foi atrás dela na Geórgia, porque ele foi embora da Geórgia e, mais esperado, como ele ficou quando Ana o deixa. 

    O que mais gostei foi o fato de que podemos ver como Christian se vê, podemos conhecer algumas coisas que já esperávamos ver, como o passado dele, os traumas dele. Apesar de ele contar à Ana, durante esse livro seus sonhos, pesadelos, pensamentos, são todos bem claros e específicos. É intrigante ver como a mente funciona. Não estou dizendo que a mente de um homem funciona assim, minha maior crítica é a certeza de que um homem não pensa assim, o que apenas prova que o livro foi escrito por uma mulher. Digo isso porque da mesma forma que um homem não entende uma mulher, o inverso também acontece.

    Uma outra crítica é o uso exagerado dos "palavrões", entendo que muito provavelmente seja normal para algumas pessoas, até mesmo e principalmente em pensamentos, mas tem momentos que não fazem sentido, parece ser o uso apenas para trazer o clima que James sempre quis dar, porém exagerado. Fica claro neste livro que o sentimento sempre esteve presente, mesmo que por falta de conhecimento do nosso protagonista.

    E então, chegamos na minha parte preferida. Christian é mostrado como alguém que sempre imaginamos ser, alguém que se desprezava e ao mesmo tempo desconhecedor de sentimentos. É realmente muito interessante ver como ele aprende a lidar com seus sentimentos. Como ele aprende a reconhecer o que sente por Ana e como ele decide as coisas e reage a ela. 

    Para mim, esta versão é mais intrigante e cativante do que a primeira versão, a narrada por Anastasia. Há algo mais intenso no protagonista e não é o fato de ele ser alguém com um passado difícil e alguns traumas, é o fato de ele ser alguém que precisa se descobrir de verdade, além dos traumas e que podemos acompanhar isso ao desenrolar da história. Ela se tornou mais interessante aos olhos dele.

Classificação

Gênero

8 comentários:

  1. A ideia de recontar a história sob outra ótica é boa, mas ouço falarem tão mal da escrita da E L James que me desencorajo a ler seus livros. em contrapartida, gostei do filme. um dia ainda tento ler para tirar minhas próprias conclusões. Parabéns pelo blog. Seguindo.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Já vi várias resenhas positivas e negativas sobre esse livro, mas não leria. Tentei ler Cinquenta Tons de Cinza duas vezes e não me entrou, pois não conseguia suportar a Anastasia e seus mimimi. Sem falar que a escrita de E L James não é muito boa. Fui assistir ao filme, mas também não gostei muito.
    Acho que esse livro não é pra mim D:
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  3. Que pena que não te cativou... Mas leve isso com uma boa experiência. Eu não li nenhuma resenha deste livro, então desconhecia totalmente o enredo. Mas, mesmo assim, ele não me chamou muito atenção... É interessante ler livros que abordam este tema, mas há fases também... e eu não me encontro nesta fase rsrsrs. Mas não descarto a possibilidade de ler. Parabéns pela resenha e também por ser sincero com os leitores de seu blog.

    ResponderExcluir
  4. Awn!! Que maravilha que você gostou *.*
    Eu amei a trilogia 50 tons e tô doidinha pra ler esse <3

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  5. Olá, Fernanda.
    Não critico quem gosta, porque cada um tem que ler o que quiser e tiver vontade, mas eu particularmente não lerei esse livro. Ler a história uma vez já bastou. Não gosto de homens como o Grey, não suporto, por isso não me interessa ler a história na versão dele. Mesmo você falando que ele é uma pessoa diferente fora dos olhos da Ana.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Nunca me interessei muito, seja por preconceito literario, seja pelas críticas que recebe. Já folheei e não me chamou a atenção para ler de fato. Também não vi o filme. Mas essa sua resenha me fez ter alguma curiosidade. Não sei se pegaria pois tenho outras prioridades, mas eu gostei de sua resenha, da forma como manteve sua opinião, criticando e elogiando. Parabéns, Quel! Sucesso!
    http://virtualcheckin.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi ...
    Não curti muito a premissa do livro , então , acho que não lerei :(
    Mas a sua resenha ficou ótima !
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. eu estou esperando o preço do e-book baixar para eu poder comprar. li a prévia que a Amazon disponibiliza e fiquei pensando se iria querer ler o livro ou não. Pelas suas colocações, parece ser uma experiência válida. Eu li a trilogia 50 tons de cinza e achei-a bem fraca, no entanto, as pessoas esquecem que há um romance por trás de toda a história. enfim, são casos e casos, não acho que podemos generalizar os livros, porém não podemos ignorar alguns tipos de história, certo?

    beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir