Resenha: Se Arrependimento Matasse



Autor: Alma Cervantes
Editora: Novo Século
Ano: 2013
Páginas: 240

SINOPSE
"Alex, Alice e Rebeca são grandes amigos e decidem se reencontrar depois de alguns anos sem se verem. O lugar escolhido é o hotel dos pais de Alex, mas o que parecia uma viagem especial, repleta de conversas agradáveis e descontraídas com os outros hóspedes durante o jantar se transforma, em seguida, num pesadelo. Quando os três se preparam para dormir, ouvem batidas desesperadas à porta e seguem ao salão, onde logo descobrem que o cozinheiro fora assassinado. Com a comoção, somada à dificuldade de fuga devido à tempestade e névoa lá fora, a confusão logo se instala no hotel, além de um desagradável clima de suspeita entre os hóspedes."

   Um hotel aparentemente deserto no meio da estrada, com poucos hospedes sendo a maioria deles completos desconhecidos e misteriosos, um assassinato em meio a uma tempestade que provoca a ausência de luz e comunicação, uma atmosfera de suspense e desconfiança que promove pânico dentre as pessoas e as fazem tomar decisões desesperadas e precipitadas, junte todos esses fatores e logo você terá um bom caso de mistério e investigação.

   A obra tem início com o reencontro dos amigos de escola Alex, Alice e Rebeca, como mencionado na sinopse acima, os três partem em uma viagem até o hotel dos pais de Alex, pois o ambiente parecia ser ótimo para uma estadia agradável onde colocariam as conversas e assuntos em dia. Em meio a chegada do trio ao local de encontro surgem também alguns hospedes e são apresentados ao leitor alguns dos funcionários do hotel. Outro fato relevante na trama seria um suposto convidado com interesses comerciais, o qual ligara recentemente para marcar um encontro com os proprietários do lugar.
   Ao final da tarde o tempo começa a fechar e uma tempestade se inicia, com a chuva caindo e após a instalação dos hospedes todos se reúnem para o jantar, e eis que surge uma nova e desconhecida junto ao grupo.
   
Até a ocorrência de tais acontecimento a obra é passiva e não demonstra ser muito intrigante, o suspense realmente tem início depois do jantar, quando o cozinheiro é encontrado morto, após uma queda de energia causada pela tempestade. (será mesmo?)

   A morte revela-se não ter sido acidental e sim um crime, um assassinato, o que leva os hospedes ao estado de pânico e desespero coletivo. Tal consequência faz com que a última personagem apresentada pelo autor tome uma iniciativa para o controle da situação, um interrogatório, na qual todas as pessoas, uma por vez, descreveria suas ações e percepções até aquele momento.
   Com o passar do tempo em meio a madrugada chuvosa, as pessoas começam a desconfiar umas das outras e tomar atitudes insensatas, o que acaba gerando mais desespero e a morte de outras personagens.
  

Para aqueles, que assim como eu, são apaixonados por suspense policial essa obra é uma ótima pedida, gostei bastante do enredo, toda atmosfera sombria, as diferentes possibilidades e alternativas para o desfecho da história, qualquer um poderia ser o responsável pelos crimes. Mas confesso que me decepcionei um pouco com a revelação do(a)assassino(a), eu gostava tanto da personagem e não queria que esse(a) fosse o(a) real culpado(a).

   Observação: Não irei revelar a sexualidade do assassino(a), por isso estou usando esse sistema opcional de artigos definidos.  

Apesar de não ficar feliz com a identidade do(a) assassino(a), seus motivos para a realização do crime me surpreenderam, não esperava tamanha criatividade do autor, tornando-se um ponto extremamente favorável e responsável pela obra ter me agradado tanto.

Outro ponto que me agradou muito foi a forma da narrativa, impecável, textos com escrita perfeita, revelando-se um vocabulário rico e ao mesmo tempo fácil de assimilar. Realmente incrível.

Adorei o fato do autor ser brasileiro e apresentar tamanha qualidade ao desenvolver a obra, que posso abertamente compara-la com algumas obras da minha autora amada, a rainha do suspense policial, Agatha Christie. Não há como negar, os fãs da autora logo de cara percebem a semelhança e de onde veio a inspiração de Alma Cervantes.  

   O livro é muito bom e eu recomendo à todos, acredito que os fãs do gênero também irão gostar. Só não me ganhou por completo, pois eu gostava muito do(a) assassino(a).

Classificação

Gênero
  









Nenhum comentário:

Postar um comentário