Resenha: Filhos do Éden - Paraíso Perdido

Filhos do Éden #3
Autor: Eduardo Spohr
Editora: Verus
Ano: 2015
Páginas: 560
  
    No princípio, Deus criou a luz, as galáxias e os seres vivos, partindo em seguida para o eterno descanso. Os arcanjos tomaram o controle do céu e os sentinelas, um coro inferior de alados, assumiram a província da terra.
     Relegados ao paraíso, ordenados a servir, não a governar, os arcanjos invejaram a espécie humana, então Lúcifer, a Estrela da Manhã, convenceu seu irmão – Miguel, o Príncipe dos Anjos – a destruir cada homem e cada mulher no planeta. Os sentinelas se opuseram a eles, foram perseguidos e seu líder, Metatron, arrastado à prisão, para de lá finalmente escapar, agora que o Apocalipse se anuncia. Dos calabouços celestes surgiu o boato de que, enlouquecido, ele traçara um plano secreto, descobrindo um jeito de retomar seu santuário perdido, tornando-se o único e soberano deus sobre o mundo.
    Antes da Batalha do Armagedon, antes que o sétimo dia encontre seu fim, dois antigos aliados, Lúcifer e Miguel, atuais adversários, se deparam com uma nova ameaça – uma que já consideravam vencida: a perpétua luta entre o sagrado e o profano, entre os arcanjos e os sentinelas, que novamente, e pela última vez, se baterão pelo domínio da terra, agora e para sempre.

Sabe quando você fica respirando fundo diversas vezes e não sabe por onde começar a falar sobre um livro que superou suas expectativas? Pois é assim que estou com Paraíso Perdido. Eu já tinha certeza que seria uma leitura maravilhosa, mas, como sempre, Eduardo Spohr conseguiu superar minhas expectativas.


A escolha desse livro se deu por diversos fatores. Sou fã do Eduardo há alguns anos, mas desde que esse livro saiu, eu fiquei com um aperto no coração de ler e então acabar, pois Filhos do Éden é o terceiro livro de uma continuação, antecedendo, em acontecimentos, A Batalha do Apocalipse. Vou explicar isso mais pra frente. O segundo motivo, foi que a Jornada Maratona Literária de Verão, que termina no dia 27 de janeiro, teve como desafio a leitura de um livro nacional que tenha sido publicado nos últimos 5 anos. Bem, esse se encaixa e com perfeição, já que estava ansiosa para saber como essa saga se findaria.

Como eu disse, esse é o terceiro livro da saga Filhos do Éden, e para sua compreensão, a leitura dos anteriores se faz necessária, pois, acreditem, muita coisa só é respondida nele, mas precisamos das perguntas para compreender as respostas.

“Antes da grande batalha do Armagedon, antes que o sétimo dia encontre seu fim, os antigos aliados, Miguel e Gabriel, atuais adversários, deparam-se com uma nova e perigosa ameaça — uma que já consideravam vencida: a eterna luta entre o sagrado e o profano, entre os arcanjos e os sentinelas, que novamente, e pela última vez, se baterão pelo domínio da terra, agora e para sempre.” (pág. 25)

O livro é dividido em três partes, sendo cada uma delas com uma carga de ação e emoção sem igual. Uma das melhores coisas do livro é a narração do autor, sempre em terceira pessoa, com características épicas. Por se tratar de um universo angélico, acredito que esse tipo de narração se faz necessária para combinar com o tipo de personagens e o peso do que eles fazem.

A primeira parte do livro começa mostrando como Adão e Eva foram corrompidos no Éden, um prelúdio para mostrar quem é o antagonista principal desse livro. Não podemos dizer vilão, pois os limites traçados para essa caracterização variam muito de um contexto para o outro. Logo depois, podemos ver os protagonistas em Asgard. Sim, o reino de Odin e Thor. Porém, o reino está sendo governado pelo gigante de gelo e Thor foi morto. Nossos protagonistas, Kaira, Urakin e Denyel, precisam ajudar as valkiryas a retomar o controle do lugar para usar Bifrost, o portal do lugar, para voltar à Terra. E só podemos ter certeza de uma coisa: nada será fácil.

“(...) a luta contra as trevas não é exclusiva dos anjos, dos heróis ou dos deuses. Essa batalha é universal, verdadeira e constante.” (pág. 175)

A segunda parte reconta como Ablon, o anjo protagonista do livro A Batalha do Apocalipse atuou antes de se tornar o Anjo Renegado que conhecemos no primeiro best-seller de Eduardo Spohr. Como Ablon enfrentou no antagonista principal deste livro, Metatron, e como ele conheceu, pela primeira vez, a Terra. É muito interessante ver como Ablon era inocente e um verdadeiro soldado sob as ordens de Miguel. Para quem conhece sua história e vê como ele se tornou um rebelde, saber sobre o seu passado nos dá mais empatia pelo personagem, assim como o admiramos ainda mais!

“Os anjos não precisam de fé. Não precisam acreditar. Ele têm certeza. Esse é o grande trunfo — e, paradoxalmente, sua maior fraqueza.” (pág. 273)

Já a terceira parte é composta pela batalha final. De volta à Terra, nossos protagonistas se preparam para o maior confronto de sua vida. Metatron é o Primeiro Anjo, criado por Deus para proteger os homens, mas enlouqueceu devido a tudo o que “seus filhos” passaram e ao poder que tem. Essa combinação o torna mortal e a dúvida é se nossos protagonistas conseguirão vencê-lo e sobreviver nesse processo.

“Bem e mal não são simplesmente pontos de vista, mas existem perante o universo. Certo e errado são leis ecumênicas, forças superiores a você, superiores a mim, inclusive, e que devem ser respeitadas.” (pág. 32)

Não preciso dizer que é um livro cheio de mensagens maravilhosas e ação, não é mesmo? Há algumas pequenas — mas importantes — doses de romance, porém o foco maior é a aventura, a fantasia e a ação, que se tornam impossíveis de desgrudar conforme vamos descobrindo os pormenores dessa história.

Como sempre acontece, algumas revelações foram um pouco previsíveis, por conta de algumas dicas que o autor vai deixando solta durante a história, outras, por outro lado, são completamente inesperadas e somos surpreendidos a ponto de ficarmos encarando as páginas do livro respirando rapidamente.

Se eu tivesse que classificar esse livro em uma palavra seria: eletrizante. A gente se sente preso a cada palavra e mistério e não conseguimos largar até ter descoberto tudo. No final, descobrimos que queremos mais!

“(...) sempre que você lutar por aqueles que ama ou pelos propósitos em que acredita, será invencível, ninguém poderá segurá-lo. Mas, se defender causas banais, se sustentar vícios, motivos tolos ou egoístas, você perderá.” (pág. 493)

Recomendo imensamente a leitura a todos, mas, mais especificamente a quem ama fantasia, aventura e ação. Essas são coisas que não faltam e nos tiram o fôlego a cada página!


Classificados

Gênero 
Literatura Nacional
Fantasia
Ficção


18 comentários:

  1. Olá! É maravilhoso quando um livro excede nossas expectativas.. esse sem duvida parece uma serie cheia de tudo que eu gosto em um livro: Fantasia, batalhas, uma pitada de romance e muito personagens que dá vontade de acompanha pra sempre!
    Foi bem legal ler sua resenha e sentir o quanto a leitura desse livro te fez vibrar!! Com certeza irei procurar mais sobre a serie!!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Minha melhor amiga adora esses livros e até me deu um de aniversário, vou iniciar essa leitura em breve! Que bom que você curtiu, nem todas as criticas que vi foram positivas. Adorei a resenha, beijos'

    ResponderExcluir
  3. Eu me sinto mal demais por não curtir fantasia, sinto que to perdendo autores incríveis por conta disso, como é o caso do Eduardo, o trabalho que ele faz e o reconhecimento que vem tendo é incrível, sua resenha me deixou animada, acho que vale a pena comprar o primeiro volume e saber o que realmente acontece, como vai ser minha experiencia e tal.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro. Mas pela sua resenha pareceu ser uma estória bem interessante :) Pela sua resenha deu para perceber o quanto você gostou do livro :)

    Beijos,
    Thalita Sousa

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Apesar de ter sido uma boa leitura pra ti, pouco leio sobre fantasia e essa não me despertou interesse para querer embarcar nessa leitura.
    Mas gostei de conhecer mais da sua experiência com a obra.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Fantasia não é meu forte, já li muito, mas hoje em dia prefiro outros gêneros, como romance de época/históricos, que são meus favoritos! Adorei sua resenha, mas dessa vez passo a dica, quem sabe em uma próxima?!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Fernanda,
    Eu já li uma obra desse autor - A batalha do apocalipse - e gostei muito da forma como ele escreve, apesar de achar ela bastante descritiva pro meu gosto. Gostei muito da sua resenha e do seu amor por esse livro. Achei muito legal o que você disse sobre as respostas que esse livro apresenta.
    Vou anotar a dica para ontem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Amei esse livro, só falta ler este, tô louca pra saber tantas coisas aia ai.
    Vc só me deixou ouriçada aqui.
    Parabéns pela resenha!
    Ahhh e E. Sphor é um fofo! rs

    ResponderExcluir
  9. Acho que quem curte esse gênero deve amar esses livros. Eu não consigo me prender muito na história, mas é uma boa indicação, com certeza.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Tenho o livro A Batalha do Apocalipse há anos, mas nunca me animei a ler porque sempre que conversava com alguém te tinha lido, diziam ser bem maçante. Gostei de sua resenha porque me trouxe uma visão diferente desse autor. Acho que vou desaposentar o livro dele da estante e se gostar passo para Filhos do Éden. =)
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Eu não sou muito fã de livros com fantasia e muita ação, até leio alguns, mas não é meu gênero favorito, então não sei se o livro seria para mim. De qualquer forma, parece ser uma leitura ótima. Bela resenha!

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu estou louca por esse livro,, li os dois primeiros e amei, o Eduardo Spohr consegue nos envolver tanto com a história. Eu amo os livros dele, conheci lá em 2010 com o lançamento de A Batalha do Apocalipse. Quero comprar o box com os 4 livros juntos.

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Tantas vezes vi livros dessa série e não me empolguei a ler (não sei porquê), mas depois de ler a tua resenha já coloquei o primeiro livro da série na minha lista de desejados!!!
    Já estou super curiosa pra chegar no terceiro e nem li os dois primeiros ainda, hahahaha!

    Beijos

    http://espiraldelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Está ai um livro que quero MEGA desencalhar esse ano da estante, na verdade quero desencalhar a série hahaha Tenho mega curiosidade em conhecer a trilogia, e sua resenha do terceiro me deixou mais ansiosa ainda. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?

    É tão bom ler uma resenha e perceber o quanto a pessoa gostou do livro.
    Confesso que eu li o primeiro livro e parei nele, não consegui me conectar com o enredo, os personagens, nada. Mas acho que li em um momento que não era para aquele livro, pretendo tentar novamente em breve, quem sabe m e empolgo...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  16. Tenho em casa e ainda não li. Me envolvi com outros ele foi ficando para trás. Ele me atraiu muito e sua resenha me deixou bem animada para começar. Parabéns.

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Adoro esses livros que prendem assim e gostei da premissa dele! Morro de vontade de ler algo do autor!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Que lindo que está o blog. Amei!!
    já tem um tempo que quero ler esse livro, parece ser maravilhoso e essas capas me conquistam.
    Já está na minha lista de leituras, mas resta saber quando ele será sorteado para que eu possa ler.

    ResponderExcluir