Resenha: Diário de Uma Paixão

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Ano: 2010
Página: 256

    "Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou." 

    Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida...
     O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.

Mais uma vez estou chegando com um livro lido para a Jornada Maratona Literária de Verão. O desafio da vez me fez pensar bastante, pois tinha que ser um livro hipe antigo. Mas o que seria um livro hipe antigo? Minha escolha de Diário de Uma Paixão foi pensando no ano em que ele foi lançado (não no Brasil), em 1996, quando eu tinha apenas dois anos de idade. Apesar de não fazer tanto tempo, apenas 21 anos, podemos dizer que ele é antigo levando em conta como livros são lançados todo o tempo e fazem um sucesso estrondoso. E, convenhamos, Diário de Uma Paixão faz sucesso até hoje, não é mesmo?

Quando eu iria imaginar que fazer a resenha de um livro que eu amo (e que li apenas uma vez há muitos anos e estava louca para reler), ia ser mais difícil do que de um que eu não conheço e já não era fã. Quanto mais fã sou de uma obra, mais difícil acho colocar isso em palavras.

Sei que muitos já conhecem o livro ou o filme, justamente por ele ser muito famoso, mas vamos lá refrescar a memória ou conhecer um pouco sobre Noah e Allie, nossos protagonistas?

“No entanto, o sentimento persistia, apesar do seu esforço, e por um breve momento teve a sensação de que voltara a ter 15 anos. Sentiu-se como não se sentia havia muito tempo, como se todos os seus sonhos ainda pudessem se tornar realidade.” (pág. 41)

Noah e Allie se apaixonaram quando eram muito jovens. Ela tinha apenas 15 anos e ele, 17. Era verão e os pais de Allie tinham ido para Nova Berna. Foi por acaso que eles se conheceram, mas não por acaso que eles se apaixonaram perdidamente naquele verão. Mesmo contra a vontade de seus pais, contra as probabilidades de aquele romance dar certo, eles viveram o melhor verão, os melhores dias de suas vidas naquele ano.

Porém, quando Allie teve de ir embora, Noah prometeu que aquilo não acabaria e lhe escreveu durante dois anos e meio, até notar que a menina não responderia mais. O rapaz então viveu a sua vida, até que 14 anos depois, ela o encontrou, na mesma casa que ele prometeu comprar e reformar para os dois. Ali, o destino, com um pouco de sorte, fez com que os dois tivessem uma nova chance de se conhecerem novamente.

“O meu pai contava que a primeira vez que a pessoa se apaixona muda a vida dela para sempre, e por mais que você tente, o sentimento nunca desaparece. Essa garota de quem você  me falou foi o seu primeiro amor. E não importa o que você faça, ela vai ficar com você para sempre.” (pág. 22) 

Mas a história, como podem ver logo na sinopse, não começa ali. Começa um pouco depois, em uma casa de repouso, com um homem que se vê muito comum, mas que amou alguém — e ainda ama — de todo o seu coração, e que vê nesse o seu maior legado e sentido da vida. Todos os dias esse homem lê um diário, o seu diário, para a bela senhora que possui a memória perdida.

Não é difícil chegar a conclusão de quem são esses senhores logo no início da história, assim como não é difícil saber o que acontece quando Allie e Noah se reencontram, mas o que é difícil é ver como tudo caminha para algo sem aparente solução. Allie perdeu a memória, ela está doente, e mesmo lutando contra todas as possibilidades, lá está Noah, mantendo sua esperança de que, em alguns dias — não todos, mas os mais importantes —, ela irá se lembrar dele mais uma vez.

“É a possibilidade que me faz continuar, não a certeza, uma espécie de aposta de minha parte. E embora você possa me chamar de sonhador, de tolo ou de qualquer outra coisa, acredito que tudo é possível.” (pág. 14)

O que mais gosto nessa história é como os sentimentos são tratados de forma tão clara. Mesmo 14 anos se passando e eles sem terem nenhum contato, Allie e Noah não fazem cobranças logo que se encontram, eles apenas compreendem que o sentimento que sentiram é algo belo e único e que está preservado, mesmo com o desencontro durante os anos. Da mesma forma, eles não escondem sentir algo um pelo outro quando se dão conta disso e é o que faz tudo ainda mais tocante, porque mesmo tudo tão diferente, eles são honestos e respeitam um ao outro.

Nicholas Sparks é conhecido pelos seus “romances ideais”, pelas histórias tocantes e que fazem a gente chorar às vezes. Aqui, não muito diferente, as lágrimas que vieram a minha não foram completamente de tristeza, mas sim de emoção com o puro sentimento que Noah nutre por Allie durante tantos anos.

“Você é a resposta para todas as minhas orações. Você é uma canção, um sonho, um murmúrio, e não sei como consegui viver sem você durante tanto tempo. Eu amo você, Allie, mais do que você é capaz de imaginar. Sempre te amei e sempre vou te amar.” (pág. 117)


Não posso dizer que Diário de Uma Paixão é para os que querem se curar de uma ressaca, porque ele pode causar uma. Mas ele é para os amantes do romance. Para todos o que amam uma história que toque e aqueça o peito, que trata dos mais belos sentimentos, mesmo perante as adversidades da vida. 


Classificação

Gênero
Literatura Internacional
Romance
Ficção
Drama


17 comentários:

  1. Eu adoro a história desse livro. Li a alguns anos, em um único dia. É tão tocante, tão lindo, tão singular... Muita gente fala mal dos livros do Nicholas, mas eu adoro.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Sou suspeita pq amo a história. Acho que é uma das poucas do autor que eu adoro. AMO OS QUOTES *_* dá vontade de marcar o livro todo haiuhauihaiuhauiha

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Ahhh, gente, como não amar esse livro? Eu li já faz algum tempo, então não lembro muitos detalhes da obra, porém lembro que gostei bastante. Ótima resenha!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Estou com esse livro para ler desde dezembro. Fui pegando outros e acabei ate esquecendo dele. Uma amiga leu e me indicou e lendo sua resenha, lembrei que preciso ler e logo, para não esquecer de novo! Adorei a resenha!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Fernanda que resenha linda! Fiquei bem interessada em ler esse livro, eu não o possuo mas sendo do Nicholas, fiquei bem motivada para ler, ainda mais diante de tantos elogios seus referente a obra.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem Fernanda?

    Adorei a sua resenha, tem tempos que quero ler os livros do Nicholas Sparks e só fiquei com mais vontade de ler os livros dele. Fico feliz que tenha gostado do livro. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Um clássico lindo de um dos melhores autores de romance. Gostei da resenha e adoro o livro!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Estou me sentindo um ser de outro mundo por nunca ter lido ou ao menos assistido ao filme. hahha. Já o evito justamente pelas lágrimas que sei que derramaria.
    Na verdade, também sinto um pouco de aversão pelo autor, pois acho que ele perdeu a essência e hoje em dia só faz livros para ganhar dinheiro, já que a formula mágica é meio que sempre a mesma, mas como este é um dos primeiros e mais conhecidos, creio que um dia ainda lerei.

    www.vicioseliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu sou apaixonada por esse livro. A entrega desses personagens e o amor deles e a luta para manter acesa a chama da paixão em meio a doença da esposa é algo tocante.
    O filme também ficou lindo!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  10. Como eu realmente não gosto de romances, passo longe dos livros do senhor Sparks. Mas isso que tu falou é muito real: quanto mais gostamos de um livro mais difícil é falarmos dele.

    ;*

    ResponderExcluir
  11. Olá, gostei muito da sua resenha. Eu tenho esse livro há anos, mas ainda não li, mas pelo pela sua resenha parece ser um romance muito tocante mesmo.

    ResponderExcluir
  12. Ahhhhh, esse livro è perfeito!!! E o filme? Sempre choro, não tem como. O romance è lindo, delicado, nos faz sonhar né? Meu favorito do Sparks, sem duvida!

    ResponderExcluir
  13. Oii boa noite !
    Esse livro ja è bem antigo ja vi várias resenhas positivas e nsgativas sobre ele e confesso que não me interessou muito . Mas mesmo assim gostei bastante da sua resenha um beijo

    ResponderExcluir
  14. Heeeey!!!

    Li este livro faz um tempinho, foi uma das leituras mais cansativas do Nicholas.
    Achei muito repetitivo, mas a história é linda.
    Que bom que gostou.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    É bem assim mesmo, quanto mais gosto do livro mais difícil é falar sobre ele.
    Diário de Uma Paixão eu li alguns anos atrás e gosto bastante dele, mas não tive ressaca por causa dele hahaha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Eu li esse livro faz muito tempo, foi o único do autor que curti verdadeiramente, chorei horrores na época.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Ah, que gostosa essa sua releitura! Eu li esse livro também há muitos anos atrás e amei, acho que é de longe o meu livro preferido do autor.
    Beijos.

    ResponderExcluir