Resenha: Deixe-a Ir

Autor: Heloisa Benini e Neila Almeida
EditoraSekmeth 
Ano: 2017
Páginas: 307


Jackson Flanangam, é um rapaz bonito, mas gordinho, tímido e de posses. em 1999, faltando 4 meses para terminar seu ultimo ano na Universidade, ele conhece a mulher que iria mudar a sua vida, seus conceitos de filho educado, atencioso e disciplinado.
Wendey Hurst, estudante de letras e bolsista na mesma universidade, começa uma amizade com Jackson que gosta de ser chamado de "Jax", ela o ajuda a conquistar o seu maior sonho: entrar em forma!
Mas Wendy precisa voltar para o Texas, e Jax a leva para casa em sua moto Harley, e ele tem que deixa-la partir, a despedida é difícil, mas com promessas de se reencontrarem um dia.
Essa História se Passa em Los Angeles - Cidade de muita praia, gente bonita e a cidade do cinema, mas o que esse casal quer mesmo é viver um amor incondicional, mas nem tudo é flores. [SKOOB]

Olá corujinhas, hoje é dia de resenha! 

Quando chegamos a esse mundo ninguém nos ensina direito o que é o amor, exceto os músicos que nos avisam que "O sinônimo de amar é Sofrer" (risos). O amor dói, e muitas vezes não é por que em algum momento vai acabar — porque sempre acaba, seja por um evento de probabilidades, ou quando simplesmente um coração para de bater — dói, por que temos consciência do qual belo aquilo foi.

Não nós ensinaram a se despedir daquilo que amamos. E o livro "Deixe-a Ir" talvez seja o calcanhar de Aquiles de muitas pessoas, pois é exatamente isso que aprendemos com essa leitura.


A obra é um romance jovem, e tem a beleza de carregar a pureza dos sentimentos de quando aprendemos a amar. É o que eu achei mais incrível é que o livro foge do clichê, onde a perfeição estética esta sempre presente. Jackson, ou apenas Jax, nosso personagem principal é um garoto acima do peso e com baixo-autoestima — tirando o fato triste, dele se sentir mal com isso é que cuidar do corpo não apenas por estética, faz parte de ter uma boa saúde — é muito engraçado, por que ao contrario do que todos imaginavam ele ganha o coração da linda Wendey. O que faz, com que muitos leitores possam se identificar com ele, e sentir que o amor é para todos, não apenas para os deuses gregos da perfeição.


Já nossa personagem Wendey, provocadora de lagrimas nesse livro (risos) é uma garota que veio de uma cidade pequena do Texas, após perder os pais. Ela cursa letras, e vive o clássico sonho dos anos 90: Formar, se tornar professora infantil, casar e ter filhos. Será que é pedir muito para o universo: uma família e morrer velha de mãos dadas com a pessoa que você ama?

Depende! Não precisamos de uma vida gigante para aproveitar quem amamos, precisamos, talvez, apenas do aqui e agora! Tal desejo, faz com Wendey, se envolva com Manson, que ela não ama e que não tem nada a ver com ela.


Manson, por outro lado é apenas um cara prepotente e popular que pratica bullying por que no final das contas não consegue lidar com sigo mesmo. O que é muito triste, por que o leva para um caminho onde as pessoas o olham como um ser desprezível. Esse é um personagem que faz muita raiva.

É compreensível que todos podemos acordar com o pé esquerdo, mas isso nunca será motivo para sair destruindo o sonho das pessoas. Alguém que faz isso, seja por inveja ou desejo de se sentir superior, é uma pessoa digna de pena.

É muito fácil destruir sonhos, ninguém ganha um Gramy por isso, ninguém nunca será notado por isso. Agora inspirar alguém a criar algo que torne o mundo, o seu mundo, o dos seus amigos melhor, isso sim é digno de um Nobel.

Quando começamos a leitura, ate estranhamos o motivo de tanta perfeição. O universo simplesmente conspira para que esse amor aconteça. E embora o romance entre Jax e Wendey aconteça de forma muito rápida, o que levanta um boato de que Wendey esteja com Jax por dinheiro ou para se vingar do ex namorado Manson que a trai com Patrícia, fica provado que os dois realmente se amam. E o romance doce ganha uma apimentada, onde os personagens se descobrem sexualmente levando o livro para outro nível.


Os personagens começam a amadurecer e com isso ganham responsabilidade: trabalho, fim de faculdade, começam a pensam em casamento, compram apartamento, pensam em filhos, vemos Jax emagrecer ao longo da narrativa e se revelar um lindo homem loiro de olhos azuis. Vemos Jax trocar seu carro por uma moto Harley e fazer planos inimagináveis com a mulher que ama.


Quando você acha que sua vida esta melhorando vem deus (autor) e joga uma bomba na cabeça da personagem (risos). O que fazer quando é necessário dizer adeus? Wendey descobre um câncer é cada segundo de sua vida passa a escorrer como área entre seus dedos.


Wendey, resolve terminar tudo com Jax sem dar explicação e voltar para o Texas. O jovem rapaz não entende nada, e com muita dor respeita sua decisão, mas antes pede ela para realizar o seu sonho: viajar pela Rota 66 com Wendey montada na garupa de sua Harley Davidson. Ela aceita e os dois fazem a viagem que vai ficar para sempre na mente dos leitores.


Quando lemos os últimos capítulos nos colocamos a pensar no que gostaríamos de fazer se soubéssemos que o nosso tempo esta acabando. Eu particularmente descobri que estaria fazendo a mesma coisa que faço agora, escrevendo. E nesse momento percebemos como é importante esta sempre em contato com aquilo que realmente desejamos. Não precisamos receber um diagnostico dizendo o nosso prazo de vida, temos que viver o aqui e agora. O amanhã não existe, o que existe esta no presente, temos que aprender a abrir o presente e curti-lo.


Infelizmente o gesto de altruísmo de Wendey, de ir embora e morrer sozinha, acaba se tornando em egoísmo. Uma virgula no lugar diferente é algo bonito fica feito (risos). Se transformou em egoísmo por que ela não viveu apenas 6 meses, ela viveu 5 anos. E nesse tempo ela teve um filho do Jax, e o privou — assim como o resto da família — dos primeiros anos da vida do menino, Adam.

Jackson acaba descobrindo, e mesmo depois de tanto tempo, ele ainda a ama e a busca para viverem o felizes para sempre com muitas lagrimas. Eles se casam, e Wendey vive mais alguns meses. E pensamos, se ela tivesse contato desde o inicio, talvez ela não vivesse 5 anos, mas vivesse 10 anos.

Eu pensei que seria altruísmo não deixar a pessoa que você ama saber que se esta morrendo, mas descobri que essas pessoas iriam preferir ter você por mais alguns dias independente de qualquer coisa. E que privar alguém da dor da perda, mesmo que pareça certo, não é a escolha certa! Essas pessoas tem o direito de escolher estar com você!

O livro é muito interessante pelo constante crescimento dos personagens, eles iniciam com uma mentalidade e terminam com outra. Eles amadurecem, o que vai deixando o livro mais bonito e mais difícil. Difícil por que temos que dizer adeus para esse romance perfeito. Não adeus, de fim de livro, e sim, adeus Wendey!

Classificação

Gênero 
Romance
Drama
Literatura Brasileira






Nenhum comentário:

Postar um comentário