Resenha: A Reunião

Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Ano: 2007
Páginas: 272
Tradutor: Alves Calado

SINOPSE
    Suzannah é uma adolescente como outra qualquer. Bem, quase... Ela tem um pequeno segredo: é uma mediadora. Fala com fantasmas e os ajuda a descansar em paz. Um dom um tanto incomum para ser dividido com os colegas, irmãos e até mesmo com a mãe.Mas de uma pessoa Suzannah não conseguirá esconder seu segredo. Gina, sua melhor amiga de Nova York, está na cidade passando uns dias com elas. Durante sua estada, quantro adolescentes morrem num acidente de carro. E Suzannah se vê obrigada a abrir mão de sues tias tranquilos com a amiga para ajudar as almas penadas. E para isso, ela precisará contar com a cobertura de Gina.No entanto, não só os fantasmas que precisam de ajuda. Michael Meducci, também envolvido no acidente, passa a ser perseguido e corre perigo. Mas quando forças sobrenaturais estão em ação quem está em segurança? [SKOOB]


    A Reunião é o terceiro livro da saga A Mediadora, lançado originalmente por Meg Cabot com o pseudonimo de Jenny Carroll. O livro já foi de grande sucesso entre adolescentes, sendo um pouco menos aclamado nos dias atuais, porém com uma leitura leve e descontraída, propícia aos jovens pré-adolescentes.


    A Reunião continua a história da mediadora Suze Simon, que após se mudar para a Califórnia para morar com a mãe e a família do novo marido, agora divide o quarto com seu antigo morador morto, o charmoso fantasma Jesse. Neste livro, porém, Jesse precisa ficar afastado, pois Suze tem a visita de sua amiga de Nova York, Gina. Esta sendo a única que sabe, ao menos um pouco, do seu segredo e sendo a única capaz de a cobrir em suas incursões para ajudar (ou bater) nos mortos.

    Neste livro Suze precisa enfrentar mais do que quatro adolescentes fantasmas muito furiosos com suas mortes. Seu desafio também envolve o assassino desses fantasmas e a própria segurança. No meio disso acaba por se lembrar do que lhe foi dito há muitos anos, que se apaixonaria apenas uma vez na vida. E com esse pensamento seu coração e mente se voltam para Jesse, seu fantasma charmoso que lhe faz ficar com o coração aos pulos.

    É uma literatura leve e feita justamente para descontrair. Recomendada pelo humor, já tão característico dos livros de Meg Cabot. Sem dúvidas é escrito para essa faixa etária e se torna, como para mim, uma leitura para lembrar a época mais leve da vida. Com uma narrativa jovial, descontraída e cativante. 


Classificação

Gênero


Um comentário:

  1. Oi Quel, desconhecia esta série, não sou muito fã deste gênero, mas está de parabéns pela resenha, beijos

    ResponderExcluir