Resenha: A Maldição do Tigre

Autora: Coleen Houck
Editora: Arqueiro
Ano: 2011
Páginas: 344
Tradutor: Raquel Zampil

SINOPSE
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.
[SKOOB]


    A primeira coisa que devo dizer sobre esse livro é que gostei muito. Como alguém que gosta muito de estudar outras culturas e que gosta muito de fantasia, esse livro é a mistura perfeita de ambos os casos. A cultura indiana é rica em detalhes e em nuances míticas e este livro deixa todas essas nuances mais interessantes junto a trama que a autora desenvolve.

    Porém, confesso, não é só amor. Tenho um caso de amor e ódio com a história e em como ela foi desenvolvida. O primeiro ponto negativo, aos meus olhos, é a narrativa em primeira pessoa. Acho um pouco massante quando o autor coloca desta forma, mesmo que sirva para aproximar o leitor da personagem. Porém, mesmo não sendo de meu agrado, vejo que é necessário, pois foca apenas em um lado, deixando um mistério maior sobre os demais presentes na trama. O que me deixou desconfortável foi que o prólogo e o epílogo foram escritos em terceira pessoa, contrastando com o resto do livro.

    Outra coisa que me cansa é como algumas autoras retratam suas personagens femininas como sendo extremamente inseguras. Sim, a insegurança pode estar presente, mas qual moça iria deixar de tentar conquistar o príncipe lindo e amaldiçoado quando ele claramente está afim? Posso afirmar que nenhuma que conheço. Isso é o que mais me deixou decepcionada com trama. Não houve inovação. Vemos as mesmas coisas com tantas outras personagens que na verdade são lindas e cheias de atributos. A necessidade que as autoras têm de fazer com que várias moças se identifiquem, colocando todos os tipos de inseguranças em uma única personagem é um pouco chato. Foi o que me fez ficar desanimada. 

    Outra coisa que me irrita é o triângulo amoroso. Dois rapazes e uma moça. É uma forma chata de trazer o problema para a trama e me fez ficar um pouco receosa de ler. Porém, é como falei, o livro mexe com a mitologia e a cultura e posso afirmar que tirando esses pontos citados, é realmente muito bem formulada a trama. 

    É de se pensar que não gostei do livro, afinal eu o critiquei bastante. Mas é justamente o oposto. São os pontos fortes que me fizeram gostar. São esses pontos que me fizeram querer mais e ansiar para o próximo. Minha maior esperança se tornou a autora focar, mais para frente, em algo além do romance ou do triângulo amoroso (apenas sugerido, mas que ainda não aconteceu), se forcar no mistério que ela pode desenvolver, nos perigos e desafios. Pois fica claro que para libertar Ren da maldição existirão muitos desafios e, mais importante ainda, ela precisará se resolver emocionalmente para que dê certo.

Classificação

Gênero
Fantasia
Romance

7 comentários:

  1. QUE BLOG LINDO!
    Estou seguindo aqui, adorei! E sobre o livro, não faz muito o meu gosto e confesso que até me deu uma vontade de ler.
    http://grandemetamorphose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Que bom que gostou daqui, espero que curta as demais postagens também!
      Esse livro eu tenho há mais de um ano e estava tomando coragem para ler. Ele é meu estilo justamente pela mitologia, mas espero que se ler, goste. Apesar dos pesares, eu adorei.

      Excluir
  2. Oii,
    Comprei esse livro esses dias.
    Espero curtir também...e ansiosa para conhecer um pouco mais de uma nova cultura.

    tenha um ótimo domingo.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu demorei bastante para pegar para ler esse livro, mas apesar dos pontos negativos que coloquei aqui, ele me cativou grandemente. Espero que seja assim pra você também e se prepare, pois tem mais 4 pela frente além dele. haha

      Beijinhos

      Excluir
  3. Hey gata! Há um tempinho venho pensando se vale ou não a pena ler esse livro, e pela sua resenha ele me pareceu mais um desses clichês com um triangulo amoroso, mas conhecer um pouco mais da Índia seria bacana!
    Beijo Grande!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, eu amo clichês, mas detesto triangulos amorosos. Na verdade, ainda não conheci nenhum livro que não seja clichê, nem mesmo os do Nicholas Sparks onde o final você nunca sabe se vai ser feliz ou de morte. O que me irrita neste livro não é o cliclê e sim a personagem tratada (Uma Bela Swan), mas relevante levando em conta que eu sou apaixonada por literatura fantástica. Se você também é, então eu recomendo fortemente!

      Beijinhos

      Excluir
  4. Fernanda, concordo com você. Kelsey é uma protagonista um pouco maçante, mas discordo no ponto em que diz que isso se dá por conta da narração em primeira pessoa. A narração ficou chata por conta da personagem, pois existem outros livros maravilhosos com narrações em primeira pessoa, sabe?

    adoro, assim como você, o estudo aprofundado que a autora fez a respeito da cultura indígena. E a cada livro, foi sensacional conhecer um pouco mais e nos aventurarmos em jornadas cada vez mais perigosas.

    O triângulo amoroso também me incomodou, porém o final que a autora dá a ele é incrível, não?

    beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir