Resenha: Uma Pequena Casa de Chá em Cabul



Autora: Deborah Rodriguez
Editora: Leya
Ano: 2015
Páginas: 304


SINOPSE

    "Sunny é a orgulhosa proprietária de uma pequena casa de chá no coração do Afeganistão e precisa de um plano genial – e rápido – para manter o local e os clientes seguros.
    Yasmina, uma jovem grávida que fora roubada de seu distante vilarejo e abandonada nas ruas violentas de Cabul.
    Candace, uma americana rica que finalmente trocou o marido pelo amante afegão, o enigmático Wakil.
    Isabel, uma jornalista determinada com um segredo que pode privá-la da maior reportagem de sua vida.
    Halajan, a “mãe” do grupo, uma idosa cujo antigo caso de amor vai contra todas as regras.

    Essa pequena casa de chá em Cabul atende homens e mulheres, expatriados, funcionários da ONU e mercenários; todos em busca de um momento de paz em uma região onde a tensão paira no ar e uma bomba pode explodir a qualquer momento, mas também se torna o cenário para o encontro dessas cinco mulheres que, mesmo tão diferentes entre si, compartilham segredos e tornam-se amigas com uma relação extraordinária."
[SKOOB]

    Impossível não se encantar com essa história de amizade entre cinco mulheres completamente diferentes, seja pela cultura, ideais ou pela religião, cinco vidas distintas que se cruzam em uma pequena casa de chá em Cabul. Cada uma com seus problemas, segredos e anseios, mas todas com um desafio em comum, provar para si mesma o devido valor do sexo feminino.

Uma obra primorosa, muito bem escrita e com um enredo envolvente. 


    Adoro histórias interculturais, elas nos contam muito sobre um povo e ao mesmo tempo nos encantam com detalhes enriquecedores de fatos reais, não apenas um romance com elementos fictícios, mas relatos que realmente ocorrem em determinados locais e países.

    Aprendi muito com essa leitura, a qual me proporcionou um melhor entendimento sobre a cultura afegã, seus costumes e tradições. Os problemas que afligem a sociedade, o valor da mulher perante seu marido e sua família, questões políticas e religiosas, tudo envolto em uma ambientação delicada e ao mesmo tempo sufocante, sendo essa última imposta pela pressão a qual cada uma das personagens passa em sua jornada ao carregar inúmeros segredos do passado. 

   Uma obra que revela ao leitor um pouco da realidade e dificuldades de um povo que vive constantemente amedrontado e apreensivo com frequentes atentados, mas que busca na fé a força para seguir em frente sem nunca se abalar ou envergonhar-se de suas origens.





    Vivendo em uma sociedade machista e marginalizada pela política do país é difícil imaginar que uma mulher pudesse lutar pelos seus direitos e essa obra nos mostra o quão poderosa é a força da união. Mesmo com culturas tão distintas cinco mulheres, lado a lado, buscam aquilo que consideram o melhor para si e para as demais.

    Sunny, uma mulher guerreira, independente e empreendedora, mas ao mesmo tempo frágil, dividida entre dois amores. Largou tudo para trás, família e amigos, após uma infância difícil nos Estados Unidos, foi buscar em Cabul um lugar onde pudesse prosperar e formar uma família de verdade.

    Yasmina, uma jovem viúva separada de sua família por uma dívida, seu destino estava selado e ela passaria o resto de sua vida como escrava sexual se não fosse por sua gravidez que foi sua salvação perante aos homens que a levaram, mas também poderia causar sua total desgraça devido as tradições religiosas de seu país.

     Halajan, uma senhora idosa a frente do seu tempo e dos costumes afegãos, mãe dedicada, sábia e boa conselheira. Auxilia Sunny nos afazeres diários na casa de chá. Uma viúva revolucionária e destemida que não consegue esquecer um amor do passado o qual pode causar desonra a toda sua família.  
    Isabel, uma jovem jornalista judia inteligente e que viaja para Cabul com a finalidade de escrever sobre os campos de papoula e produção de ópio no país, mas que ao se deparar com as condições desumanas pelas quais passam as mulheres e crianças, espancadas e aprisionadas, resolve buscar artifícios para tentar mudar a situação e trazer um pouco de dignidade para essas almas que tanto sofrem.
  
    Cadance, uma mulher de meia idade que busca o amor a qualquer custo. A princípio pode parecer fútil e atrevida, mas mostra-se muito prestativa e influente na arrecadação de fundos para novas obras assistencialistas, auxiliando Sunny e Isabel em suas buscas e objetivos, tanto jornalísticos quanto empreendedores. 

Cinco mulheres diferentes unidas por uma amizade quase improvável.



    Fiquei muito impressionada com o desfecho dado a cada uma das personagens, como elas conseguiram afugentar seus demônios particulares e seguir seus caminhos. Mas na verdade o que me tocou foi a história de luta e persistência, a garra que essas mulheres demonstraram quando tudo parecia perdido, elas não se deixavam abalar, por mais triste que fosse a situação, sempre erguiam a cabeça na esperança de tudo se resolver, na verdade o que era preciso era acreditar em si mesma e no poder da amizade.


Classificação 


Gênero
  




3 comentários:

  1. :o uau, nunca tinha ouvido falar neste livro, mas agora estou totalmente curiosa para lê-lo <3

    ResponderExcluir
  2. Ps. Eu também tenho um blog, se você quiser visitar: derepentelivros.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Nunca ouvi falar deste livro! Mas foi bem bacana ler a sua resenha adorei.

    http://victor-reads.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir