Adaptação: A Teoria de Tudo


Original: The Theory of Everything
Direção: James Marsh
Estúdio: Universal Pictures
Ano: 2015
Adaptado de: The Theory of Everything [Jane Hawking]
Elenco: Eddie Redmayne, Felicity Jones, David Thewlis, Harry Lloyd, Alice Orr-Ewing, Emily Watson.

Sinopse: O filme conta sobre o relacionamento do famoso físico Stephen Hawking (Eddie Redmayne) com sua esposa Jane (Felicity Jones), desafiado pela doença de Hawking, portador de esclerose lateral amiotrófica. [Filmow]

    Impossível não se encantar por esse filme, todo o drama envolvendo a vida de um cientista genial que no auge de sua juventude e carreira descobre ser portador de uma doença degenerativa, esclerose lateral amiotrófica (ELA). Sua história poderia ser repleta de dor e sofrimento, mas essa adaptação nos mostra como a presença de uma pessoa pode fazer toda a diferença nas escolhas que tomamos para nossa vida.


    O filme tem início com Stephen cursando doutorado em Cambridge, ele busca o tema central para sua tese quando, em uma festa, conhece Jane, uma estudante de Literatura, e logo se encantam um pelo outro. No início do relacionamento Stephen descobre ser portador de esclerose lateral amiotrófica e que terá apenas 2 anos de vida. Essa descoberta faz com que o incrível físico entre em desespero e perca a vontade de continuar vivendo, mas Jane, por mais delicada e fraca que possa parecer com sua carinha de menina ingênua se mostra a pessoa mais sensata e forte de toda a história. Ao contrário de muitas outras mulheres, ela permanece ao lado de Stephen dando-lhe forças para enfrentar a doença.

    Para mim ficou explícito que se não fosse por Jane, Stephen teria desistido de viver,  após descobrir a doença ele passa seus dias enclausurado em seu alojamento da universidade, não quer falar com os amigos, nem frequentar as aulas...parece ter desistido de seus planos de carreira como também da vida.

"Quero ficar ao seu lado enquanto ainda temos tempo. E se não durar muito - é o que nós temos. Vai ser suficiente."
- Jane Hawking

    O tempo passa e eles se casam, tem filhos, Jane abdica de seus sonhos, sua carreira e muitas outras coisas para cuidar da família. Faz diversos sacrifícios em prol da carreira do marido, e se orgulha a cada nova conquista que ele consegue em seus estudos e pesquisas científicas. A situação vai se agravando com o tempo e a dedicada esposa precisa de auxílio para cuidar das necessidades dos filhos e do marido cada dia mais doente.

    O que achei mais encantador foi a forma com a qual Jane cuida carinhosamente de Stephen, ela o ama do fundo do coração, atende a todos os seus caprichos e se afasta ao perceber que pode estar começando a ter atração por outro homem. Também achei super gentil e carinhoso da parte de Stephen, por toda sua limitação, perceber qual era o limite de sua mulher, o conhecimento de que a mesma era jovem, bonita e saudável e que ele estava se tornando um peso para ela. Assim ele soube dar o devido valor a digna esposa que teve e deixou-a seguir em frente com sua vida, tornando-se bons amigos.

    Não sei quais das situações mostradas no filme aconteceram realmente ou se muitas coisas foram ajustadas para o romance ser mais atrativo ao público, mas o enredo é sem dúvida belíssimo e envolvente. O surpreendente foi como não derramei rios de lágrimas, deve ser porque apesar dos momentos tristes e de todo o drama envolvido, o amor e a determinação dos protagonistas me encantou, eles buscavam nas coisas e gestos mais simples uma força para lutar contra as adversidades.

   Eddie Redmayne está realmente incrível, todas as premiações, incluindo o Oscar de melhor ator, foram realmente merecidas, interpretação fantástica. Também gostei muito de Felicity Jones no papel de Jane, linda, delicada e ao mesmo tempo guerreira e determinada.

    Apesar de não ter lido a obra original ainda (pretendo adiciona-la à minha imensa lista de leituras), gostei muito da adaptação e super recomendo.


   Um romance magnífico visto de uma perspectiva menos científica, mas não menos brilhante da vida desse incrível físico e cosmólogo. Mostrando ao telespectador que com amor, fé e determinação, uma mulher conseguiu mudar a vida e o destino fatídico de seu marido.
    
"Por muito má que sua vida possa parecer, sempre há alguma coisa que você pode fazer e ter sucesso. Enquanto há vida, há esperança."
- Stephen Hawking


2 comentários:

  1. Estou cheia de expectativas para este filme, ainda mais porque ganhei ingressos para o cinema! Sempre admirei Stephen Hawking, e acompanho Eddie Redmayne desde o começa da carreira. Agora é esperar o filme estrear por aqui.
    Beijos!

    www.diarioquaseescritora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu não li o livro, mas quero muito ver o filme!

    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir