Resenha: Se Eu Ficar

Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Ano: 2009
Páginas: 224
Tradutora: Amanda Moura



SINOPSE 
"Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas." [SKOOB]

    "Se Eu Ficar", best-seller do The New York Times que deu origem ao filme com o mesmo nome, conta a história de Mia Hall, uma musicista que ama os clássicos como Bethoveen e os toca em seu violoncelo. Que tem pais que amam a música, mas o rock, assim como seu namorado Adam e até mesmo sua melhor amiga, Kim. Mia é uma alma velha em um corpo jovem, e com sentimentos e dúvidas dos jovens e que tem sua vida completamente mudada em um Dia de Neve. 

    A trama começa de forma simples, ela é apenas uma menina adolescente que não se encaixa no mundo dos pais justamente por não gostar das mesmas coisas que eles. Mas que tem o apoio da família e do namorado, Adam, que agora está em turnê com a sua banda. A neve faz todos ficarem sem aula, assim a família decide visitar os velhos amigos e os avós da menina naquele dia já que não há tanta neve assim na estrada. Tudo muda ali. Um acidente faz com que algo inexplicável e quase impossível de e acreditar aconteça. Mia se vê e a sua família. Ela é algum tipo de espírito, sem superpoderes, que tem toda a decisão de ir embora ou ficar apenas decidindo.

    Durante o decorrer do livro podemos ver flashes da vida de Mia, coisas que a influenciam a ficar ou ir, seja lá para onde ela vá. Confusa ela tenta pensar em como seria seguir a sua vida, mas por vezes parece fraquejar. Ao mesmo tempo, ela não consegue desistir. Os acontecimentos que se sucedem passam então a ser decisivos para sua escolha.

    Ao mesmo tempo podemos ver como a relação dela com Adam surgiu e cresceu, assim como a dela e de sua família com sua escolha e sua paixão pela música clássia. Coisas que nos fazem ficar ainda mais apaixonado por essa simplicidade. Pois Gayle tem uma simplicidade e delicadeza para escrever que nos cativa e nos faz pensar: "e se fosse eu?". 

    Como diz na publicação da The Wall Street Journal "A genialidade do livro está em sua simplicidade", e concordo plenamente. Não há como não nos apaixonarmos e torcermos por Mia, por Adam, por Kim e pela família dela. Mas a questão que ronda todo o livro enquanto lemos é a mesma de Mia. O que acontecerá se ela ficar?

  



2 comentários:

  1. Oii tudo bem?
    Em alguns anos eu venho querendo ler esse livro com a antiga capa, não pude deixar de fora essa linda capa, a história me surpreendeu tirando que faltou emoção da história, mas é linda <3 Gostei de sua resenha!!
    Fique com Deus! Aguardo sua visita *-*
    http://www.doceliterario.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Não li o livro ainda, mas está na minha lista de desejados. Sempre vejo resenhas muito positivas dele e a sua não foge à regra rs. Tomara que eu goste dele e consiga perceber essa simplicidade cativante. Parabéns pela resenha e bjus do MAGI'S
    http://www.magisbook.blogspot.com.br/
    https://www.youtube.com/channel/UCEc_CLTWldvUPEs8iPZRMwQ

    ResponderExcluir