Resenha: A Mediadora - A Terra das Sombras (livro 1)

Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Ano: 2004
Página: 282
Tradutor: Clóvis Marques

SINOPSE
"Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos, então, é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente novaiorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe. Ela conversa com mortos. Todos eles. Qualquer um. Ela é uma mediadora, em termos místicos, uma pessoa cuja missão é ajudar almas penadas a descansar em paz. Um dom nada bem-vindo e que a deixa em apuros com mãe e professores. Como convencê-los da inocência nas travessuras provocadas por assombrações? Essa é a emocionante trama de A mediadora série best seller de Meg Cabot, que ganha nova capa. Em A TERRA DAS SOMBRAS, primeiro volume da série, Cabot apresenta a vida desta mediadora divertida, que tem certa ojeriza a prédios antigos — quanto mais velho um edifício maiores as probabilidades de alguém ter morrido dentro dele —, um pai-fantasma nada ausente e uma nova família, que inclui um pai adotivo e três irmãos postiços. A história começa com a mudança de Suzannah para a ensolarada Califórnia e, para seu desespero, uma casa do século passado. Assombrada, claro. Só que por um fantasma bonitão, que nada faz para assustá-la. Muito pelo contrário.Os problemas de Suzannah, porém, não estão só no lar, mas também na escola. Lá, o espírito de uma garota, que se matou por causa do namorado, ameaça a segurança de todos. Só Suzannah com suas habilidades e poderes especiais pode salvar seus amigos e professores da fúria terrível de uma assombração com grandes poderes..."  [SKOOB]

Suzannah Simon não é uma adolescente de 16 anos comum. Ela é a mediadora. O que isso significa? Ela possui o dom de falar com os mortos, é a responsável por ajudar as pessoas que morreram a completar a travessia. Só que isso sempre acontece em momentos muito inapropriados. E justamente por ter sofrido com isso os 14 anos de sua vida, é que ela passa a não gostar de prédios e casas antigos.
E é justamente para uma casa antiga que ela se muda quando sua mãe se casa novamente. Muda-se de Nova York para Carmel, uma cidade no Norte da Califórnia, onde além de ganhar um padrasto, ganha três meio-irmãos: Mestre, Dunga e Soneca, ou como eles foram batizados David, Brad e Jake.

Como se não bastasse ganhar três meio irmãos, a casa onde ela mora agora tem o pior histórico da cidade, uma casa onde muitos homicídios foram feitos. E um deles mora bem em seu quarto. Jesse, o fantasma de um "caubói" morto que é simplesmente "uma gracinha". Suzannah logo tenta abordar o fantasma, mas ele, aparentemente, não tem motivos para estar ali, a não ser querer estar, porém eles passam a se dar relativamente bem quando Jesse a salva. De que?

Heather um fantasma de uma menina que se matou nas férias e agora assombra a escola e a vida do ex-namorado. Aparentemente, Heather é um problema que Suzannah pode lidar, porém ela se mostra muito mais do que isso e, por sorte, Suze conhece um outro mediador para ajudá-la: Padre Dominic, o diretor da nova escola de Suzannah. Ambos possuem o dom da mediação, mas visão diferente de como o fazer.

Em meio a fantasmas Suzannah nunca teve muitos amigos, mas isso muda em Carmel, onde ela se torna a popular. Isso não a priva de problemas, o que faz com que a história toda se torne ainda mais divertida, além do mistério da vida e, principalmente, morte de Jesse.

"Só que eu falo com os mortos.Talvez não devesse dizer assim. Talvez devesse dizer que os mortos é que falam comigo. Quer dizer, eu não ando por aí procurando esse tipo de conversa. Na realidade, tento evitar essa coisa toda o mais que posso.Mas o negócio é que às vezes eles não me largam.Estou me referindo aos fantasmas."

Um livro leve, apesar de se tratar de um tema "polêmico", divertido e jovem. Como é característica de Meg Cabot. Uma leitura fácil e rápida. A gente acaba querendo mais, apesar de, aparentemente, terminar tudo bem.

Classificação e Gênero
  



Nenhum comentário:

Postar um comentário