Resenha: O Teorema Katherine



Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 304
Tradutor: Renata Pettengill

SINOPSE
    "Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
    Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera." [SKOOB]

  Terminei a pouco mais de uma semana essa adorável leitura, como não se encantar por Colin, um garoto prodígio com talento nato para anagramatização, pode-se dizer que ele não é um garoto comum de 17 anos, ainda que tenha alguns problemas como todo adolescente, como a dificuldade de adaptação e a falta de amizades duradouras devido a seus estranhos hábitos, mas como eu disse anteriormente, Colin não é um garoto comum, seus relacionamentos estão fadados ao fracasso e é ele que sempre leva o fora, bom pelo menos é o que a suas lembranças revelam dos 19 relacionamentos que teve com 19 diferentes Katherines...isso mesmo, todas as 19 namoradas de Colin chamavam-se Katherine, K-A-T-H-E-R-I-N-E.
   Com esse pequeno histórico de relacionamentos fracassados você pode esperar que Colin já estivesse acostumado e nem se importa em ser chutado, mas não, seu último relacionamento com a XIX Katherine o deixou na sarjeta, tão abalado que não conseguia pensar na possibilidade de continuar a viver sem sua amada.

“É possível amar muito alguém, ele pensou. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela. ”

   Abalado, tudo o que lhe resta é tentar inventar algo revolucionário que faça com que as pessoas o reconheçam, Colin quer ser importante e lembrado, assim ele e seu amigo Hassan, um fofíssimo muçulmano com elevado senso de humor, partem em seu carro, o Rabecão de Satã, em uma viagem sem destino certo. Mas a vida de Colin está destinada a mudar quando passa por Gutshot, para visitar o túmulo do arquiduque Francisco Ferdinando, importante por sua morte dar início a 1ª guerra mundial. É na pequena cidade do Tennessee que Colin tem o seu momento ‘Eureka’, com base em suas 19 Katherines ele está disposto a criar um teorema que preveja o comportamento de um relacionamento e dizer se o mesmo estará fadado ao fracasso e quem será o Terminante e o Terminado da situação, ‘O Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines’.
  Em Gutshot Colin e Hassan conhecem Lindsey Lee Wells e permanecem na cidade hospedados na casa da nova amiga, o desenrolar dessa adorável história se dá nos acontecimentos ocorridos durante a curta estádia da dupla na cidade e as dificuldades de Colin testar a veracidade de seu teorema.

...eu particularmente adorei a obra, li muitas resenhas e comentários fazendo comparações com a aclamada "A Culpa é das Estrelas" também de John Green...sinceramente, as duas histórias não se parecem em nada, em “O Teorema Katerine” não há dramatizações, pelo contrário John Green revela seu lado sarcástico e brincalhão com as mais perfeitas sátiras provenientes de Hassan é claro...
   Colin para muitas pessoas pode parecer egoísta, tentando a todo custo provar ser alguém ao mesmo tempo em que é sempre a vítima das situações mais infortunas. Eu compreendo a angustia do personagem, iludido ele se apega a única coisa que ele julga ser melhor que os demais, sua inteligência, e sem ela ele não é ninguém.

“Qual o sentido de estar vivo se você nem ao menos tenta fazer algo extraordinário?”

   Você que está na dúvida, Leia! É uma leitura rápida e divertida e John Green, simplesmente sensacional com muita ironia e sarcasmo (que eu adoro), sem contar a tradução, incrível como lidaram com a questão dos anagramas de Colin e tudo mais.



...tenho certeza que você irá gostar caso contrário só tenho uma coisa a dizer: BADALHOCA!


Classificação

Gênero
Juvenil
Romance
Comédia


Nenhum comentário:

Postar um comentário